Antônio Pereira

7 de abril de 2021

O que ganha a Rede Globo ao manipular o BBB21

Todo brasileiro tem algum tipo de teoria da conspiração. Em época de BBB, a maior de todas é de que a Rede Globo de Televisão manipula resultados nos paredões, principalmente nos que estejam algum integrante que tenha muita torcida aqui fora da casa mais vigiada do Brasil.

Já me pronuncie em outros post neste blog sobre o assunto, que sempre vem à tona quando algum favorito seu acaba eliminado em detrimento do favorito de outra pessoa. Invariavelmente, pela paixão de torcida levamos nossos pensamentos a acreditar que o jogo multimilionário que é um sucesso em praticamente todos países do mundo, seria manipulado para dar vitória a um ou outro participante.

Acredito que a Rede Globo ou qualquer outra televisão no mundo tenha em mente apenas uma coisa quando produz um programa como o Big Brother Brasil: DINHEIRO. Eles só querem dinheiro. Então, é razoável acreditar que eles farão tudo para não perder dinheiro. E qual seria a forma fatal para perder dinheiro? Se você pensou em manipulação e que essa manipulação fosse revelada ao grande público, acertou. Isso mesmo, o maior capital de um programa como o BBB é a suposta isenção nas regras de votação, onde o telespectador vota. Se esse voto for manipulado ou não for exatamente o que deveria, o programa simplesmente acaba. Perde totalmente sua função de entretenimento, mas com ética, sem manipulação de resultados das votações.

Vamos aos fatos: o BBB 21 já alcançou mais de 50% de crescimento no volume de patrocinadores fixos, chegando a bagatela de R$ 555 milhões, podendo o programa faturar mais de R$ 1 bilhão com todas as inserções de publicidade possíveis, fora tudo que ganha em mídia interativa e outras plataformas das redes sociais. Ou seja: estamos falando de um programa com um faturamento bilionário, tendo que responder a dezenas de empresas de grande porte, como Coca-cola e Mac Donald, por exemplo. Evidente que estas empresas não gostariam, não queriam e ficariam de fora de um programa manipulado por dentro, pois levaria o público a repulsa e, consequentemente, redução da audiência, jogando por terra todo o investimento publicitário.

Ao colocar no ar um programa como o BBB, a Rede Globo, como qualquer empresa, tem como principal objetivo ganhar dinheiro, muito dinheiro. A única coisa que realmente importa para a emissora é a audiência, aumento da publicidade. Isso tem um preço, que é a credibilidade, não pode haver nada que leve o público a desconfiar do resultado das provas ou das votações. Caso contrário, tudo desmorona.

Dito tudo isso, eu não acredito que houve ou vai haver manipulação no sentido de alguém deliberadamente por intenção da direção ganhar uma prova de líder ou outra dinâmica do jogo. O que acho que há e realmente há é interações pontuais da direção do programa, buscando intensificar a dinâmica, como aconteceu com as conversas ‘vazadas’ do integrante Projota com o diretor Boninho, onde o global, nitidamente tenta convencer o cantor a não sair do programa. Para isso, Boninho dá uma série de informações vitais, fazendo com que Projota tenha uma postura mais agressiva a partir dali. Isso sim é uma forma, razoavelmente aceita de intromissão no jogo.

No mais, o BBB 21, apesar de algumas pessoas torcerem o nariz, move parte importante da sociedade brasileira, em fenômeno semelhante a copa do mundo ou final de novela da nove. Sim, o brasileiro médio adora bisbilhotar a vida alheia. Eu me coloco nesse time e confesso que gosto do programa. Gosto da dinâmica que ele cria em torno das relações humanas, a partir das disputas entre os confinados. Pronto, falei.