Blog do Dresch

14 de dezembro de 2018

FHC diz que país está “raivoso”

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou que o presidente eleito Jair Bolsonaro, faz parte das “forças raivosas” da sociedade brasileira. Ao participar de uma palestra na Fecomércio, em São Paulo, FHC respondeu uma pergunta sobre como o Governo anularia a oposição raivosa, o ex-presidente assinalou: “Ele [Bolsonaro] faz parte das forças raivosas. Eu não gosto de dizer isso, mas o Brasil ficou raivoso, e caberá ao Governo nos próximos meses mudar esta atitude porque é preciso unir a população”.

Governadores debatem segurança

O debate sobre a segurança no país deve passar pelos governadores. Eles querem discutir o assunto, já que são os responsáveis diretos pela execução das ações. Este foi o resultado do Fórum de Governadores, que se reuniu em Brasília com o futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro e com o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann. Também pediram providências para o sistema penitenciário, com uma melhor gestão e a criação de projetos-modelo de presídios. Sugeriram ainda o isolamento de presos ligados a facções criminosas e que o governo possa endurecer as politicas de enfrentamento dos delitos de corrupção, violentos e os praticados pelas facções. E os governadores defenderam medidas ostensivas nas fronteiras do país, com ações rigorosas e incremento dos serviços de inteligência e dos sistemas de tecnologia.

Alagoas feita a mão

Governador Renan Calheiros e a Primeira Dama, Renata Calheiros, lançaram ontem o Circuito Alagoas Feita à Mão, que pretende estimular a arte popular desenvolvida pelos mestres artesãos alagoanos. Foram incorporados á orla maceioense, três réplicas de esculturas, com seis metros cada, feitas de isopor naval e fibra de vidro. “O Beijo da Mestra Irinéia” ficará exposta na Lagoa da Anta, o “Boi Bumbá”, do mestre João das Alagoas na praia da Avenida e o “Leão” do mestre André da Marinheira, no Pontal da Barra.

As forças raivosas da nação 2

Na palestra, o ex-presidente disse ainda que governar é bem mais difícil do que ganhar a eleição, e sem citar Bolsonaro, disse ter dúvidas se uma liderança “difusa” é suficiente para manter a governabilidade. “Eleição se ganha num momento de exaltação, e a emoção conta. Governar depende dos fatores organizados. É importante que haja liderança, mas precisa que se enraíze, que encontre apoio nas estruturas porque senão não anda” afirmou FHC.

Expansão dos negócios

O grupo cearense Edson de Queiroz pretende ampliar o leque de participação em outros setores produtivos. Dono da distribuidora Nacional Gás, Esmaltec (fogões e geladeiras), Minalba (águas) e de um dos maiores bancos de terrenos do país o grupo anunciou que pretende participar de leilões de energia eólica e se lançar no ramo de incorporação imobiliária. Por outro lado, deixará de atuar em negócios menores como a fabricação de tintas imobiliárias e beneficiamento de castanhas.

Expansão dos negócios 2

As mudanças fazem parte da estruturação da governança corporativa e coordenadas pelos primos Abelardo Gadelha Rocha Neto, Igor Queiroz Barroso e Edson Queiroz Neto. O grupo tem atualmente 12 mil empregados e um faturamento de R$ 7 bilhões previsto para este ano. O banco de terrenos do grupo tem hoje cerca de 300 terrenos, e um deles, no Rio Grande do Norte tem um grande potencial para a produção de energia eólica, e pode comportar um investimento de mais de R$ 1 bilhão.

Expansão dos negócios 3

Outro setor valorizado no Grupo Edson de Queiroz é o da Comunicação. O complexo é formado por duas afiliadas da Rede Globo, rádios em Fortaleza, Ceará e Rio de Janeiro, além do jornal impresso Diário do Nordeste. Os veículos são comandados por Edson de Queiroz Neto, que é diretor-executivo do grupo. Recentemente o jornal passou por uma reformulação na sua parte gráfica, visando reduzir em 30% o gasto com papel.

 

  • Por determinação da juíza Juliana Batistei Guimarães Alencar, o ex-prefeito de Marechal Deodoro, Cristiano Matheus teve boa parte dos seus bens bloqueados.
  • Ao todo foram R$ 17 milhões, segundo a juíza, desviados da contribuição de segurados da previdência quando estava à frente do município de Marechal Deodoro entre 2009 e 2016. A magistrada exige que o valor seja ressarcido aos cofres públicos.
  • Os bens deverão ser bloqueados até o valor que foi desviado da previdência municipal.
  • Também citada na decisão da Juíza Gisela Maria, a gestora municipal Gisela Maria Torres Tenório Cavalcante teria participado dos atos de improbidades do ex-prefeito e também será responsabilizada.