Antônio Pereira

11 de maio de 2021

Juliette, Whindersson Nunes, Luisa Sonza e a toxidade das redes sociais

A grande vencedora do Big Brother Brasil, a advogada e maquiadora Juliette Freire foi blindada por seus amigos e assessores mais próximos para que não fosse ‘contaminada’ pela aridez tóxica das redes sociais, onde pessoas que se dizem profundos admiradores dela passam ao ataque mais vil contra supostos ‘inimigos’ da ídolo. Assim, a grande vencedora do BBB teve que pedir encarecidamente que seus ‘cactos’ (nome dado aos seguidores da maquiadora) parassem de atacar seus colegas de confinamento, particularmente a youtuber Viih Tube, ameaçada de várias formas nos últimos dias.

Outro imbróglio com o mesmo nível de toxidade acontece desde o fim do casamento do comediante Whindersson Nunes e a cantora Luisa Sonza. Os dois chegaram a realizar uma festa de casamento tida como ‘dos sonhos’ em uma praia de Alagoas. A própria festa foi motivo de desavença e controvérsia, mas nada que pudesse tirar o brilho da relação aparentemente cor-de-rosa dos dois pombinhos, que eram os queridinhos da internet até então.

Acontece que neste meio entrou outro personagem, identificado como Vitão, até então grande amigo de Whindersson Nunes e Luisa Sonza, sendo visto em vídeos e diversas postagens nas redes sociais do casal, sempre como um grande amigo.

Quis o destino que Vitão e Luisa se apaixonassem perdidamente, o que, obviamente, levou a rompimento do casamento dos sonhos dos dois jovens promissores das redes sociais. Windersson chegou a ser zoado durante muito tempo pelas circunstâncias do fim do casamento, enquanto Luiza sempre foi hostilizada fortemente pelos seguidores do seus antigo marido ao ponto de Windersson ter que publicar um pedido para que parassem com aquele assédio a moça.

Agora, passados mais de um ano do ocorrido, tudo volta à tona desde que Windersson comentou abertamente sobre o fim do casamento, dizendo que não teria sido por conta de traição de Luiza e sim por outros motivos. Pronto: toda a voracidade dos defensores dos dois lados passaram a destratar ferozmente cada um dos seus ‘inimigos’ imaginários nesta relação pública.

Não adianta dizer que atualmente tanto Windersson quanto Luiza estão bem com seus respectivos parceiros. Os agressores virtuais simplesmente agem como se a antiga relação dos dois fosse um jogo, onde agredir, ameaçar e destratar cada lado faz parte das regras criadas nos subterrâneos dos bites cibernéticos, causando forte sofrimento para todos os envolvidos.

O certo é que uma parte do público simplesmente se diverte em ver seus supostos adversários dos seus admiradores sofrendo. Essas pessoas trazem para si a briga que deveria ser particular e privada. Claro que o fato de Juliette, Luisa e Windersson serem famosos e terem nas redes sociais seu principal ganha pão não justifica essa ação doentia de agressões e ameaças.

Para variar o Brasil tem muitas regras, mas pouca eficácia para cumpri-las. Enquanto isso, agressores continuam se perpetuando. Quando são acoados e desmascarados, pedem desculpas e usam a frase emblemática: ‘não era isso que queria falar, foi um impulso. Estou arrependido/da’. E fica tudo por isso mesmo.

Cada vez mais é preciso rigor na punição para essas ações de agressões e ameaças. Temos que levar bem a sério tudo isso. É preciso impor limites com os rigores da lei.