Alisson Barreto

25 de abril de 2020

Bolsonaro, a alavanca da esquerda

Bolsonaro, a alavanca da esquerda

Como levantar o PT e a esquerda marxista após o impeachment da Dilma?

A forma de governar do atual presidente pode viabilizar o retorno de partidos esquerdistas ao poder, no Brasil? A resposta a essa indagação pode levar a questões surpreendentes, inclusive à possibilidade de um presidente “cavalo de troia”.

A esquerda pós-Dilma. Após o impeachment, o PT se viu politicamente enfraquecido e com ele toda a esquerda, uma vez que era um evidente ícone de força política. Com os escândalos de prisões de diversos membros e aliados do PT, inclusive, o nome de maior referência petista, Lula, como se daria a reação do projeto bolivariano no Brasil? O PT não saiu de todo sem força, tanto que conseguiu levar ao segundo turno um candidato até então desconhecido ou irrelevante politicamente para a maior parte do eleitorado brasileiro. Anos e anos de formação político educacional não poderia ser diferente.

A solução pseudo-direitista. E se fosse alçado um político por um eleitorado de direita, mas que simplesmente manchasse a imagem da direita? Ora, há duas formas de fazer isso: (1) destruindo o trabalho dele de modo a não conseguir produtividade ou (2) ele próprio destruir a oportunidade, colaborando com o propósito esquerdista. Ora, a primeira forma já foi tentada por diversas vezes na história por PT e PC do B, sempre votando contra interesses da nação para dificultar o êxito de outros partidos e, por muito tempo isso não deu certo. Afinal, o PT só chegou ao poder no executivo nacional, quando se aliou a partidos e empresas capitalistas, engendrando uma máquina governamental só freada pela operação Lava-Jato. Porém, se o tempo de bastidores na política nacional e participação de partidos menos suspeitos, mas dispostos a cooperar, o plano de uma falsa direita que manche a imagem da direita pode ser a solução que faltava para o retorno da esquerda, mais forte e mais fincada no poder.

A alavanca promotora do retorno da esquerda. É sabido que os russos têm fama de serem excelentes enxadristas. A política é um grande jogo de xadrez, com torres de referências em locais estratégicos, infiltrados em religiões que adentram nos campos adversários e peões que levam adiante os projetos do estrategistas, muitas vezes sacrificando-se para que o detentor de poder alcance a vitória. As guerras são cheias de soldados camuflados e espiões. E se as relações de Trump com a Rússia tiverem a ver com a ligação de Bolsonaro com Trump? E se o ensejo de Olavo de Carvalho em desmerecer títulos acadêmicos tiver a ver com uma (A) tentativa de desmerecimento do valor da produção acadêmico científica para (B) favorecer a proliferação de (1) negacionismos e (2) outros empobrecimentos intelectuais para promover a (C) vulnerabilização ideológica?

Ora, a vulnerabilização ideológica é um ensejo ao adestramento. Com um adestramento político, os eleitores passam a olhar os políticos sem olhar de selecionador, mas com olhar de quem faz parte de um time e tem que fazer esse time vencer. Com isso, passa-se a apoiar seu político à base do custe o que custar, deixando de ver notícias que o desmascare e atacando quem não jogue no mesmo time. Porque se torce para time por paixão, racionalizando a defesa pelos símbolos escolhidos, sejam cores, números ou jargões. O próximo passo é o político protegido por seus seguidores começar a produzir resultados destruidores. Seus seguidores ignorarão os resultados, mas a semente da desgraça estará lançada. E no fim do mandato, o cavalo de troia estará entregando de mão beijada o poder para a esquerda reassumi-lo com credibilidade de salvadores da pátria, de quem muitos dirão que o poder não deveria ter saído das mãos.

Na política brasileira, as peças estão se movimentando, algumas delas foram utilizadas para planos de poder que nem sabiam que estavam sendo objetos. A política vai além do xadrez, tem peças coringa. A pergunta que não quer calar: será que Bolsonaro está a causar uma promoção orquestrada da esquerda ou poderia estar promovendo-a por inaptidão? O fato é que se as coisas não mudarem, o atual presidente acabará revelando-se a alavanca sinistra que muitos esquerdistas não imaginavam.

Pois bem, caríssimos leitores, as hipóteses foram levantadas. Pode ser apenas mais uma teoria, um tanto “conspiracionista”, ou pode ser um desvelo político. Mas apenas uma hipótese, a qual este autor torce para que seja apenas uma conjetura equivocada e que o Brasil dê a volta por cima, supere o problema da pandemia e volte a desenvolver a economia e a educação. Que o Brasil reaja e saia do isolamento para um país com melhor qualidade nos hospitais e funções públicas menos dependentes de intervenções políticas! Caso contrário, teremos um país entregue aos ratos políticos, que não fazem concursos para fazer dos cargos políticos fontes de poder, dinheiro e perpetuação política. Que o Brasil reaja, expurgando o que lhe faz mal, seja na saúde ou na política! Pois o destino de nossa pátria é a superação e a vitória.

Por fim, uma consideração final: a capacidade produtiva e intelectual de um cidadão é em função do que ele é, faz e produz, não pelo fato de crer ou não em Deus. Mas se é para crer, coloque Deus acima de tudo, não apenas acima de todos.

Abaixo, poesia relacionada ao tema:

Maceió, 25 de abril de 2020.

Alisson Francisco Rodrigues Barreto

Sobre o autor:
Alisson Francisco Rodrigues Barreto é poeta, filósofo (Seminário Arquidiocesano de Maceió), bacharel em Direito (Universidade Federal de Alagoas), pós-graduado em Direito Processual (Escola Superior de Magistratura de Alagoas), tendo também cursado, parcialmente, os cursos de Engenharia Civil (Universidade Federal de Alagoas) e Teologia (Seminário Arquidiocesano de Maceió). Autor do livro “Pensando com Poesia” e escritor do blog “Alisson Barreto” (outrora chamado de “A Palavra em palavras”), desde 2011, e da Revista Pio.
Alisson Barreto na internet:

 

Site pessoal: Alisson Barreto, acesso em https://sites.google.com/view/alissonbarreto

Revista pessoal do autor: Revista Pio, acesso em https://alissonbarreto14.wixsite.com/revistadigital-pio

“Blog” do autor: Alisson Barreto, acesso em https://tribunahoje.com/blog/a-palavra-em-palavras/

 

Twitter: @alissonbarreto1 (acesso em https://twitter.com/alissonbarreto1)

LinkedIn: @alissonbarreto1 (acesso em https://www.linkedin.com/in/alissonbarreto1/)