Blog do Dresch

24 de janeiro de 2019

Marta não quer parar de jogar bola

Participando dos treinamentos da Seleção Brasileira Feminina, para o Mundial da França, a alagoana Marta, afirmou que ainda não é hora de parar de jogar bola, mesmo aos 32 anos. Ela diz que não pensa em aposentadoria. “Fiz a conta em outras ocasiões e continuo jogando. Isso não me tira o foco. Prefiro viver um dia de cada vez tentando me manter da melhor maneira possível para continuar competindo em alto nível” assinalou. O Mundial começa em 7 de junho e o Brasil está no Grupo C com Austrália, Itália e Jamaica.

Oito usinas nucleares

O governo Bolsonaro vai retomar o plano de construir entre quatro e oito usinas nucleares no Brasil até 2030. Atualmente estão em funcionamento Angra I e II, que respondem por 1,1% da geração nacional de energia. O plano de expansão de energia por fonte nuclear ficou na gaveta após o acidente de Fukushima, no Japão em 2011. Em 2015, o Ministério das Minas e Energia declarou que tinha 21 locais estudados para receber as plantas e os estudos que estavam em andamento.

 

Blocão de oposição

Partidos de oposição ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), pretendem montar na Câmara dos Deputados, um bloco único para conseguir espaço nas estruturas políticas e, de certo modo, influenciar em questões importantes, como na eleição para Presidente da Casa. Por enquanto PT, PSOL e PSB, siglas formadoras do blocão, são contrárias é reeleição de Rodrigo Maia (DEM), mas há divergências sobre qual candidatura deve ser defendida. A de maior consistência defende a candidatura de Marcelo Freixo (PSOL-RJ) como o candidato da oposição. Outros partidos que discutem participar, ou não, do blocão, como PDT e PCdoB, já decidiram apoiar Rodrigo Maia. Mesmo assim, algumas lideranças oposicionistas defendem a união de todos os partidos, pois “o mais importante é a união desses partidos, depois a questão da presidência” garante Ivan Valente (PSOL-SP).

As 6.048 vagas do Sisu

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) disponibilizou 6.048 vagas em instituições de ensino superior em Alagoas, para candidatos que obtiveram nota necessária do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). São 4.498 vagas ofertadas pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal), para 90 cursos e graduação. A Universidade Estadual de Alagoas (Uneal) tem 1.200 vagas para 36 cursos e no Instituto Federal de Alagoas (Ifal) dispõe de 710 vagas para 19 cursos.

Oito usinas nucleares 2

O Ministério também informou que a previsão era construir duas plantas no Nordeste e outras duas no Sudeste inicialmente. Hoje a lei não permite que a exploração de urânio e geração de energia nuclear sejam realizadas por empresas privadas. Sem alteração na lei, todos estes projetos teriam de ser viabilizados com recursos público, através da Eletronuclear, estatal da Eletrobrás.

Sobre o Disque Denúncia

Em 2018 o programa Disque Denúncia 181 recebeu 18.568 ligações, um aumento de 15% em relação ao ano anterior, quando foram recebidas 15.264 chamadas. O Disque Denúncia, criado em 2011, tornou-se um equipamento fundamental no combate a prática criminosa, garante a Secretaria de Segurança Pública de Alagoas. O programa tem se revelado também como um recurso seguro e anônimo para o relato das ocorrências.

Sobre o Disque Denúncia 2

O número 181 não possui equipes e somente trabalha com o serviço de inteligência da polícia na investigação dos casos. Através dos detalhes que são repassados na denúncia, os crimes são devidamente apurados pelos órgãos específicos. A população pode fazer download do aplicativo Disque Denúncia Mobile Alagoas para enviar suas informações. A ferramenta tem possibilitado o esclarecimento de incontáveis crimes no Estado.

 

  • O aumento no processo migratório em várias regiões do mundo está contribuindo para o surgimento de epidemias de tuberculose, segundo a Organização Internacional para as Migrações (OIM).
  • Um relatório elaborado pela Organização, aponta para o surgimento de 28 mil novos casos por dia, e 4,5 mil mortes relacionadas a doença, diariamente.
  • No último relatório, apresentado no final de 2017, mostrou que naquele ano, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 1,6 milhão de pessoas perderam a vida para a doença.
  • O Brasil está entre os seis países com altos números de casos de tuberculose e HIV ao lado de Congo, Gana, Guiné-Bissau, Indonésia e Libéria.
  • As correntes migratórias e os países em crise contribuem para o surgimento das epidemias. Por isso a inclusão dos migrantes é fundamental para erradicação da doença. O objetivo do plano global das Nações Unidas é extinguir a doença até 2020.