Antônio Pereira

13 de janeiro de 2021

Agressão ao ator Henri Castelli reacende ódio aos nordestinos

A agressão covarde de pelo menos quatro homens ao ator Henri Castelli em Alagoas tem suscitado ações de solidariedade em todo o país, mas algumas passam do limite e acabam descambando para o velho preconceito aos nordestinos. Foi basicamente o que aconteceu com uma série de vídeos gravados pela atriz Antônia Fontenelle, onde ela generaliza completamente afirmando que todos os alagoanos são potenciais agressores. Ela vai um pouco mais longe e aconselha aos turistas homens e mulheres a terem cuidado quando se deslocarem para Alagoas, pois podem ser agredidos.

“Turistas do Brasil, cuidado quando vocês forem para Alagoas, cuidado mulheres com seus maridos, porque eles podem apanhar covardemente, e cuidado homens com suas mulheres, porque elas também podem sofrer alguma violência”, diz ela em um dos vídeos.

Antônia Fontenelle é apoiadora declarada do presidente Jair Bolsonaro, que também já desferiu frases infelizes para se referir aos nordestinos, aumentando o preconceito com os moradores da região. Certa vez, em reunião com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, sem saber que era gravado, Bolsonaro referiu-se aos governadores do Nordeste como “governadores de Paraíba”. Em outra ocasião, a pretexto de ser engraçado, o presidente se refere a um assessor, que é nordestino, como “pau de arara”.

As falas de Antônia e Bolsonaro são apenas uma pequena ponta do iceberg preconceituoso que existe contra o povo nordestino, tido por parte de alguns moradores de outras regiões, notadamente do Sul e Sudeste, como subdesenvolvidos, iletrados e ignorantes.

O xenofobismo contra os nordestinos nos últimos tempos tem tomado conta da mídia de uma forma tão relevante e criminosa que, hoje os xenofóbicos não fazem a menor questão de esconder seus preconceitos.

A xenofobia é um medo incontrolável do desconhecido. Ela pode ser caracterizada como um preconceito ou como um transtorno psiquiátrico. Depende muito do contexto em que ela estiver sendo utilizada, no caso de nós nordestinos, é uma forma de preconceito e racismo. Não é tão difícil encontrar brasileiros que entendam que os habitantes do nordeste são uma sub raça ou, em última análise, um povo miserável sob todos os aspectos, inclusive desinformado.

Aversão e discriminação a pessoas de outras raças, culturas, crenças e grupos é crime. A Lei nº 7.716, de 05 de janeiro de 1989, em seu artigo  (com a redação determinada pela Lei nº 9.459, de 13 de março de 1997), diz que “Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. Portanto, claramente, os delitos tipificados por esta lei englobam a conduta de segregar estrangeiros, que vem a ser delito inafiançável e imprescritível (Constituição da República, artigo , inciso XLII).

*Com informações do jusbrasil.com.br