Saúde

28 de fevereiro de 2020 13:53

Coronavírus: número de leitos será ampliado e cruzeiro vindo da Itália monitorado

Voos também estão sendo controlados pelo Centro de Vigilância em Saúde em Alagoas

↑ Coletiva que falou sobre o primeiro caso suspeito em Alagoas foi realizada na sexta-feira (28/2) (Foto: Edilson Omena)

“Higienização como prioridade absoluta em Alagoas”, frisou o secretário Estadual de Saúde, Alexandre Ayres, durante coletiva à imprensa nesta sexta-feira (28), em Maceió, sobre o primeiro caso suspeito de coronavírus notificado em Alagoas. Ele avisou que mais três leitos de enfermaria no Hospital Escola Helvio Auto serão preparados para o isolamento de pacientes com sintomas mais graves do Covid-19. Além disso, um cruzeiro vindo da Itália que atracará no dia 23 de março, no Porto de Maceió também será monitorado.

Ayres informou que todo o sistema de refrigeração do Helvio Auto será substituído para a instalação da pressão negativa e que é uma demanda da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) independente do coronavírus. “Não é por causa da epidemia, a reestruturação está sendo feita porque outros contágios chegaram ao Brasil há anos, o coronavírus vai passar, e o hospital permanece, não podemos esperar um próximo surto”, destacou.

Ainda de acordo com o secretário de saúde, não há motivo para alarde ou desestruturação do dia a dia do alagoano por conta da suspeita de Covid-19 no estado. O primeiro caso de suspeita do novo vírus é de um alagoano de 66 anos que voltou da França (país europeu com casos confirmados do vírus) para Maceió no dia 11 de fevereiro, após conexão em São Paulo, chegou com um quadro de dor de garganta, que evoluiu para fraqueza, dificuldade de respirar, tosse e febre. Ele só procurou o serviço de saúde privado no dia 26 de fevereiro, e encontra-se em seu domicílio, assim como os demais membros da família.

Todos os voos e navios vindos para o Brasil dos 16 países já notificados e comprovados os casos de coronavírus estão tendo tratamento diferente, isto é, os cidadãos estão sendo examinados e contendo os sintomas há uma deliberação do Ministério da Saúde para que sejam feitos os testes de imediato e até o resultado um acompanhamento permanente dos pacientes.

“Todos os navios que chegarem a Maceió estarão com holofotes gigantes sobre eles da rede de vigilância em saúde de Alagoas”, mencionou o secretário.

Cristina Rocha, superintendente de Vigilância Epidemiológica em Saúde de Alagoas, destacou que já existe um trabalho de rotina com as redes públicas e privadas do estado, e reuniões já foram feitas em relação ao coronavírus. “A vigilância já é feita no que diz respeito à síndrome gripa, se chegar a qualquer serviço um caso que se enquadre na sintomatologia e originários de casos confirmados pode ser atendido em qualquer lugar, sobretudo os turistas que devem recorrer à rede privada de saúde”, avisou.

Ainda de acordo com Cristina Rocha, a ideia é que não procure serviços específicos, o Helvio Auto é para casos graves, e recebe pacientes apenas com o encaminhamento, a partir de uma articulação com a rede privada e o Centro de Informação Estratégica e de Resposta de Vigilância em Saúde (CIEVS), que funciona 24 horas.

Segundo Ayres, os órgãos de controle como, Anvisa e Infraero, estão acompanhando permanentemente a chegada de aviões e navios que seguem chegando em Alagoas, que é um estado turístico nacional e internacional. “É um período de atenção, que rapidamente vai se dissipar, e quando a próxima epidemia vier de qualquer país que seja, Alagoas estará ainda melhor do que está hoje, porque teremos o Hospital Helvio Auto ainda mais equipado e profissionais de saúde mais experientes”, observou.

Samu está preparado para atender a população

O supervisor do Samu em Alagoas, Marcos Ramalho, informou que o órgão tem orientado e preparado seus profissionais do Serviço de Regulação Médica e equipes de ambulâncias no sentido do contato da população com o médico. “Estamos com uma gripe que se assemelha muito a uma gripe normal, então é o papel do médico regulador passar orientações ao solicitante por meio do 192 de como proceder, se for um caso procurar uma unidade de saúde mais próxima, e quando não, reforçar as medidas de higiene”, indicou.

HIGIENIZAÇÃO

O secretário de Saúde de Alagoas voltou a afirmar que não há motivo para alarde, o que é preciso ter consciência é da higienização: lavar as mãos, usar álcool em gel quando necessário. “Nada mais eficaz para evitar a proliferação desse vírus do que esses cuidados fundamentais”, apontou.

Ele explicou que a diferença para a dengue, zika ou chikungunya é que o novo vírus (é transmitido de humano para humano, por este motivo é uma gripe que requer uma atenção maior, porem não é preciso se preocupar. “O necessário é ter uma orientação no sentido de evitar as fakes news por parte das redes sociais. Não adianta um cidadão que esteja com uma gripe, febre prolongada correr para a porta do Hospital Helvio Auto – especializado na investigação e monitoramento de patologias infecto-contagiosas, porque não vai ser atendido, nós temos um fluxo e é importante saber que temos um plano de contingência estadual”, salientou.

“Nós também temos estrutura no Serviço Móvel de Urgência (Samu/192) para buscar pacientes e Equipamentos de Proteção Individual (EPI) necessários para os profissionais, o Governo do Estado tomou providencias desde o primeiro caso confirmado na China, além da parceria com o Ministério da Saúde que tem dado todo o respaldo as secretarias estaduais de saúde do país”, ressaltou o secretário.

No Brasil, subiu para 132 o número de casos suspeitos de coronavírus monitorados pelo Ministério da Saúde. Os dados foram repassados pelas Secretarias Estaduais de Saúde até esta quinta-feira (27) e demonstram o aumento da sensibilidade da vigilância da rede pública de saúde devido à inclusão de 15 países, além da China, que apresentam transmissão ativa do coronavírus.

Fonte: Tribuna Hoje / Ana Paula Omena

Comentários

MAIS NO TH