Saúde

24 de abril de 2018 16:40

Santa Casa de Maceió interna 53% dos pacientes oncológicos SUS em Alagoas

Números foram apresentados na assembleia onde a psicopedagoga Maria Helena Lessa foi eleita presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer

↑ Provedor da Santa Casa de Maceió, Humberto Gomes de Melo, participa da assembleia da Rede Feminina de Combate ao Câncer que elegeu a nova presidente da entidade em Alagoas (Foto: Assessoria da Santa Casa de Maceió)

A Santa Casa de Maceió respondeu por 53,5% das internações de pacientes oncológicos do Sistema Único de Saúde em Alagoas em 2017. Das 7.339 internações no período, mais da metade (quase 4 mil) foram realizadas na Santa Casa de Maceió. Esse percentual é ainda maior quando usamos o indicador paciente-dia de pacientes internados. Neste caso, a Santa Casa de Maceió registrou 70% do total verificado no ano passado entre 26 hospitais alagoanos. O número de pacientes-dia corresponde ao total de pacientes no momento do censo hospitalar diário.

Os números foram apresentados pelo provedor da Santa Casa de Maceió, Humberto Gomes de Melo, na assembleia que elegeu a psicopedagoga Maria Helena Russo Lessa como nova presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer (RFCC) em Alagoas.

“Esses números mostram a importância da Santa Casa de Maceió para os pacientes SUS que receberam o diagnóstico de câncer e que precisam tanto de nossa atenção e assistência. Neste sentido, destaco o trabalho das voluntárias da Rede Feminina de Combate ao Câncer, que, por meio de suas ações, acolhem aqueles que já se encontram fragilizados pela doença”, disse o provedor Humberto Gomes de Melo ao participar da solenidade de posse.

Nova presidente da Rede Feminina defende revisão da Tabela SUS e lei dos 60 dias para início de tratamento

A psicopedagoga Maria Helena Russo Lessa assumiu a Rede Feminina de Combate ao Câncer no lugar da economista e advogada Fátima Canuto, que esteve à frente da entidade nos últimos dois anos.

“Vamos manter os projetos e iniciativas da atual gestão e buscar junto aos gestores públicos fazer cumprir a lei dos 60 dias, que estabelece esse prazo para o início do tratamento após o diagnóstico de câncer. Outro item da nossa pauta é atualizar a Tabela SUS e ampliar o número de atendimentos na rede de hospitais vinculados ao SUS”, resumiu Maria Helena Russo.

Entre as ações da Rede Feminina estão o acolhimento de pacientes na Casa de Apoio Lenita Quintella Vilela, o fornecimento de lanches na Oncologia, doação de próteses, apoio ao Projeto Mama, campanhas entre outros.

Lojinha da Rede Feminina é sonho realizado pela Santa Casa

Na posse da psicopedagoga Maria Helena Lessa, nova presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer, a ex-presidente Fátima Canuto lembrou os diversos projetos e conquistas da entidade no último biênio. Em carta dirigida às voluntárias, ela agradeceu ao provedor Humberto Gomes de Melo a realização de alguns desses sonhos.

Encabeçando a lista está a Lojinha da Rede, localizada na área de convivência da Santa Casa matriz. “É um espaço à altura do que encontramos nos melhores hospitais do país”, escreveu a ex-presidente. A Lojinha da Rede comercializa artigos personalizados e presentes diversos que podem ser adquiridos por visitantes e profissionais da instituição.

Outras iniciativas da Santa Casa em apoio à Rede Feminina são a criação de uma sala de apoio no hospital e o pagamento de pessoal e fornecimento de alimentos para a Casa de Apoio Lenita Quintella Vilela, que hospeda pacientes.

Fonte: Assessoria da Santa Casa de Maceió

Comentários

MAIS NO TH