Política

18 de junho de 2021 16:11

Após ser exonerado da Semtur, Ricardo Santa Ritta é expulso do PDT

Postagem no Twitter defendo símbolo nazista como ''liberdade de expressão'' repercutiu nacionalmente de forma negativa para o ex-secretário

↑ Ricardo Santa Ritta (Foto: Reprodução)

Além de ser exonerado do cargo de secretário de Turismo de Maceió, Ricardo Santa Ritta, também foi expulso do Partido Democrático Trabalhista (PDT), depois de um post no Twitter onde defendia o uso da suástica, um símbolo nazista, como “liberdade de expressão”.

A Executiva Estadual do PDT comunicou a desfiliação de Ricardo santa Ritta, na tarde desta sexta-feira (18). Ele também já teve passagens pelos ministérios do Turismo, Agricultura e da Integração.

O post do ex-secretário de turismo da capital alagoana ganhou repercussão nacional. Ricardo chegou a pedir desculpas nas redes sociais.

Parlamentares chegaram a comentar o post. A deputada estadual Cibelle Moura (PSDB) chegou a comentar a postagem de Santa Ritta. “Defendo a liberdade como bandeira de vida e essa mesma liberdade é atingida diretamente pelo Nazismo. Dessa vez, você errou feio”, disse a parlamentar que ficou assustada com a fala do até então, secretário de turismo.

O governado Renan Filho (MDB), também comentou na postagem. Ele explicou para um internauta que Santa Ritta era secretário do município. “Do estado, não. É secretário do Município de Maceió”, postou o governador respondendo um seguidor que teria se confundido.

A nota que divulga a saída de Ricardo santa Ritta do PDT foi assinada pelo presidente do partido, Jurandir Boia, e afirma que o partido compactua, em pleno 2021, com qualquer pessoa que reivindique o direito de expressar apoio ao nazismo, “principalmente um gestor público”. O PDT ainda ressalta que está de acordo com a exoneração de Santa Ritta do cargo na gestão do Prefeito JHC.

A reportagem do Portal Tribuna Hoje tentou contato com Santa Ritta para ele comentar toda a essa a repercussão e polêmica, mas até o fechamento do material não obteve retorno.

Fonte: Da redação

Comentários

MAIS NO TH