Política

30 de abril de 2021 15:16

Audiência pública sobre impactos do afundamento do solo na educação prossegue na ALE

Audiência prossegue na próxima segunda-feira, dia 3 de maio, às 10h

↑ Assembleia Legislativa de Alagoas (Foto: Ascom ALE)

O prosseguimento da audiência pública híbrida para discutir o fenômeno do afundamento de solo no ambiente do Cepa-CEAGB e os impactos na educação acontece na próxima segunda-feira, dia 3 de maio, às 10h. Conforme definido na primeira audiência, no dia 12 de abril, a Braskem irá apresentar à Assembleia Legislativa um plano de contratação de empresa especializada para o diagnóstico completo dos efeitos da tragédia ambiental na educação da capital e as ações necessárias para solucionar os problemas. Além da apresentação de compromissos e responsabilidades em cada uma das suas etapas, novas informações e questionamentos irão surgir durante o encontro.

Com participações presenciais e on-line, a audiência ocorre na Casa de Tavares Bastos e será transmitida ao vivo pela TV Assembleia (Canal 7 da Net ou pelo site https://www.al.al.leg.br/ao-vivo) e pelas redes sociais do Parlamento (YouTube, Instagram e Facebook).

A audiência pública é promovida pelo Poder Legislativo de Alagoas, por meio da Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Turismo; Comissão de Meio Ambiente e Proteção dos Animais; e Comissão Especial do Pinheiro, Mutange e Bebedouro, presididas, respectivamente, pela deputada Jó Pereira e pelos deputados Davi Maia e Cabo Bebeto.

Lembrando que a audiência passada garantiu celeridade para a realização de um diagnóstico preciso das consequências, na educação, do afundamento de solo, Jó Pereira disse que, neste segundo momento, quando a Braskem fará a apresentação de seu planejamento, é ainda mais importante a participação, nas discussões, de toda a sociedade, servidores públicos, sindicatos, comunidade escolar, o próprio Parlamento, além de instituições e órgãos envolvidos no tema, como Defesa Civil estadual, Defesa Civil Municipal, secretarias estadual e municipal de Educação, MPF, MP, IMA, Cepram e Semarh.

Fonte: Ascom ALE

Comentários

MAIS NO TH