Política

20 de fevereiro de 2021 18:19

Presidente Bolsonaro cita o PCC para justificar alta nos preços dos combustíveis

↑ Bolsonaro na formatura de alunos da Escola Preparatória de Cadetes (EspCEx), em Campinas (SP),

No dia seguinte à indicação para trocar a presidência da Petrobras, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) justificou que o preço do combustível está elevado no país porque diversos órgãos de controle não funcionam no país e o PCC (Primeiro Comando da Capital) domina postos em “um grande estado do Brasil”. “Há uma indústria bilionária, clandestina nos combustíveis do Brasil. Temos informações, inclusive, que o PCC domina grande quantidade de postos de um grande estado do Brasil”, disse Bolsonaro, sem especificar quais informações possui e a qual estado se referia.

O presidente citou como órgãos que deveriam “funcionar” o Ministério de Minas e Energia, a Petrobras, a ANP (Agência Nacional do Petróleo), uma secretaria de defesa do consumidor no Ministério da Justiça, e o Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia). Segundo ele, esses órgãos “têm que mostrar serviço e não estourar no colo do presidente”. “A ANP não tem autonomia. Estão funcionando [os órgãos de controle]? O preço do combustível deveria ser no mínimo 15% mais barato sem interferência por parte do executivo”, afirmou Bolsonaro.

As falas aconteceram em Campinas (SP), durante conversa com apoiadores. O presidente esteve na cidade paulista para acompanhar um um evento na Escola Preparatória de Cadetes do Exército. Durante discurso na escola militar, Bolsonaro disse que haverá mais interferência na semana que vem.

Comentários

MAIS NO TH