Política

23 de outubro de 2019 08:12

Oposição: ‘Cacau age irresponsavelmente’

Para vereadores, gestão de prefeito beira o crime de responsabilidade fiscal; TCE e MPE já notificaram

↑ Del Cavalcante, do MDB, diz que o prefeito de Marechal onerou a folha em mais de R$ 2 milhões (Foto: Assessoria)

O prefeito de Marechal Deodoro Cláudio Filho Cacau administra a cidade, localizada na Grande Maceió, ignorando leis e normas que regem a administração pública. Recentemente, o chefe do Poder Executivo local quebrou vínculos com prestadores de serviço sob a alegação de dificuldades financeiras, mas contratou espetáculos com artistas nacionais, cujos cachês são elevados.

Para vereadores da oposição, o gestor municipal beira à irresponsabilidade e o ato com os prestadores de serviço é uma tentativa de não fechar o ano em descumprimento à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Segundo o vereador Del Cavalcante (MDB), o prefeito “criou entre 150 e 200 cargos em comissão, fora os contratos de prestação de serviços, em seus três anos de mandato. Ele onerou a folha em mais de R$ 2 milhões por ano. Nossa avaliação é que ele administra Marechal na beira da irresponsabilidade”, afirma. “Ele gasta muito com publicidade e propaganda e nunca respondeu requerimento nosso quando questionamos dados não inclusos no Portal da Transparência”, completa o parlamentar.

Ainda de acordo com o vereador, o prefeito chegou a ser notificado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) e pelo Ministério Público Estadual (MPE) por descumprimento de normas da administração pública.

“A gente conseguiu o concurso público – ele assinou um TAC em 2018 – depois de algumas ações, porque ele estava criando cargos no município, fora as contratações. Então, ele foi obrigado a realizar o concurso, mas de lá para cá ele não vem cumprindo a decisão. A promotora voltou de licença maternidade e o notificou novamente”, diz. “Daí, o prefeito encaminhou à Câmara um projeto, dessa vez com tudo que a LRF manda, com impacto, declarações, para fazer o concurso e ter a garantia que o Município terá o dinheiro para pagar, mas já tem um mês e meio que o projeto foi aprovado e até agora ele não publicou o edital. Ano que vem é eleitoral e pode ser que o MPE impeça de fazer o concurso por causa disso”, reclama Del Cavalcante.

Outro vereador que condena a forma de Cláudio Filho administrar Marechal Deodoro é Marcelo Moringa (PSDC). “Já encaminhamos representação ao MPE mostrando as coisas erradas que essa gestão fez. A gente já vem denunciando isso há muito tempo. Desde o primeiro momento da gestão, ele vem fazendo muitos erros, e temos mostrado na Câmara tudo isso”, relata Moringa.

Fonte: Tribuna Independente / Editoria de Política

Comentários

MAIS NO TH