Política

12 de junho de 2019 08:39

Para vereador, novo mapa de risco causa pânico

Francisco Sales reclama da falta de plano para retirar moradores dos bairros Pinheiro, Bebedouro e Mutange

↑ Francisco Sales reclama que moradores seguem desprotegidos (Foto: Edilson Omena/arquivo)

Pânico. Esse é o efeito que o novo mapa de risco – divulgado no último dia 7 – tem gerado na população dos bairros Pinheiro, Mutange e Bebedouro na avaliação do vereador Francisco Sales (PPL). Em discurso nesta terça-feira (11) na tribuna da Câmara Municipal de Maceió (CMM), ele também reclama a falta de um plano de ação para a retirada dos moradores destas localidades.

“Incluíram áreas que, até o momento, nunca se falavam e hoje vem esse novo mapa de risco para trazer mais pânico para todos os moradores. Vieram para dizer as áreas mais críticas, mas esqueceram de fazer o principal que era tirar os moradores daquelas áreas. No mínimo, a atitude é desumana por conta da Prefeitura de Maceió. Sequer foram conversar com os moradores” afirma o parlamentar que também preside a Comissão Especial de Inquérito (CEI) sobre o problema das rachaduras e afundamentos dos bairros Pinheiro, Bebedouro e Mutange.

Ainda de acordo com o vereador, a Prefeitura de Maceió está à mercê dos acontecimentos.

“Está trabalhando só pela sorte porque, a partir do momento que diz que os moradores estão em área de risco, se deve retirá-los. No mínimo, estão cometendo crime de omissão”, afirma Francisco Sales.

Na manhã de terça, o prefeito de Maceió Rui Palmeira (PSDB) afirmou aguardar uma resposta da União para liberar 750 unidades do Minha Casa, Minha Vida a moradores do Mutange que, segundo ele, é a área mais preocupante. Ele também destacou o contato feito com o governador Renan Filho (MDB) para buscar ações conjuntas entre Município e Estado. O prefeito também disse ter solicitado auxílio-moradia a Brasília. “É uma das alternativas que estamos aventando. Estamos aguardando a reposta do Governo Federal”.

PARECER

A CEI da Câmara Municipal sobre as rachaduras no Pinheiro, Mutange e Bebedouro deve concluir seu parecer no fim deste mês. No próximo dia 18, a Comissão receberá a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) e o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Alagoas (CREA) em audiência pública.

“A partir daí em torno de 15 dias concluímos o parecer”, adianta Francisco Sales.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Amaral

Comentários

MAIS NO TH