Política

7 de junho de 2019 08:14

São Miguel dos Milagres inaugura estação de biotecnologia

Projeto servirá para que no futuro próximo toda a área urbana possa ser contemplada com as estações 100% ecológicas

↑ Estações ecológicas já foram direcionadas para regiões centrais da cidade (Foto: Divulgação)

Exatamente às 12h de desta sexta-feira (7), aniversário de 59 anos do município de São Miguel dos Milagres, terá o funcionamento da primeira estação de biotecnologia para tratamentos de efluentes do Brasil.

A estação, que já serviu de modelo para estudantes do Centro Universitário Tiradentes (Unit) e que chegou à cidade na última semana, será acionada pelo prefeito Rubens Ataíde para atender as primeiras 30 residências da Rua Lamenha Couto, no centro da cidade, beneficiando um total de 120 pessoas. Assim, São Miguel dos Milagres passa a ser o primeiro município do Brasil a implantar um projeto futurístico para tratamento de esgotos urbanos.

O projeto piloto, aprovado pelo trade turístico e pela comunidade, servirá de modelo para que no futuro próximo toda a área urbana possa ser contemplada com as estações 100% ecológicas e que permite, inclusive, o uso de placas solares para movimentar o motor de sucção das águas sujas para dentro da estação, onde estão instaladas as nano membranas.

A parceria entre a empresa responsável, a Essencial, e a prefeitura, é no sistema de comodato através de um acordo de cooperação técnica para instalação de uma planta piloto, até que o município possa fazer a aquisição total da estação.

O prefeito Rubens Ataíde, um dos mais entusiastas com a estação, afirmou que São Miguel dos Milagres quer ser exemplo, adotando uma postura correta em relação ao saneamento.

“Nosso município recebe cada vez mais investimentos turísticos, com pousadas de charme e até projetos de redes de hotéis que querem se instalar por aqui. O turista procura praias bonitas e pousadas chiques, mas quer também uma cidade organizada, com coleta de lixo e saneamento básico. Então, vamos servir de piloto e testar essa tecnologia em uma rua da cidade para ver o resultado. Quem sabe no futuro outras partes da cidade poderão ser atendidas”, explicou o prefeito.

O diretor de obras do município, Kenny Wilson, responsável pela ação que resultou na ida da estação, acredita ser o primeiro passo para sanar todo o município das indesejáveis línguas negras das cidades.

“Essa biotecnologia, que utiliza membranas nano-cerâmica, pode ser usada em qualquer cidade, não importa a população, pois tem sua aplicação no tratamento de esgoto doméstico, bem como propicia a coleta e o tratamento do esgoto em áreas de difícil acesso”.

O professor Marcius Omena, engenheiro sanitarista e ambiental, consultor e professor do Centro Universitário Tiradentes, responsável pela entrada no Brasil da BioGill,

Fonte: Tribuna Indepedendente / Claudio Bulgarelli

Comentários

MAIS NO TH