Política

6 de dezembro de 2018 09:19

Assessor de Flávio Bolsonaro movimentou R$ 1,2 milhão

Relatório do Coaf foi anexado pelo MPF à investigação que deu origem à Operação Furna da Onça, que levou à prisão dez deputados estaduais da Alerj

↑ Flávio Bolsonaro (Foto: Reprodução)

Um relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) apontou movimentação atípica de R$ 1,2 milhão em conta de um ex-assessor do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). O documento foi anexado pelo MPF (Ministério Público Federal) à investigação que deu origem à Operação Furna da Onça, que levou à prisão dez deputados estaduais da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Fabrício José Carlos de Queiroz foi exonerado do gabinete de Flávio Bolsonaro no dia 15 de outubro deste ano.

Queiroz é também policial militar e, além de motorista, trabalhava como segurança do deputado.

Segundo a reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, “o Coaf informou que foi comunicado das movimentações de Queiroz pelo banco porque elas são ‘incompatíveis com o patrimônio, a atividade econômica ou ocupação profissional e a capacidade financeira’ do ex-assessor parlamentar. O relatório também cita que foram encontradas na conta transações envolvendo dinheiro em espécie, embora Queiroz exercesse uma atividade cuja ‘característica é a utilização de outros instrumentos de transferência de recurso'”.

A matéria acrescenta que “o nome de Queiroz consta da folha de pagamento da Alerj de setembro com salário de R$ 8.517. Ele era lotado com cargo em comissão de Assessor Parlamentar III, símbolo CCDAL- 3, no gabinete de Flávio Bolsonaro. Conforme o relatório do Coaf, ele ainda acumulava rendimentos mensais de R$ 12,6 mil da Polícia Militar.”

Fonte: Brasil 247

Comentários

MAIS NO TH