Política

25 de setembro de 2018 08:39

TRE intensifica combate a ilegalidades

TH Entrevista, do portal Tribuna Hoje, entrevista o presidente da Corte Eleitoral em Alagoas, José Carlos Malta Marques

↑ José Carlos Malta Marques destacou que a apuração dos votos deve ocorrer rapidamente no domingo, 7 (Foto: Edilson Omena)

Com as eleições marcadas para o dia 7 de outubro, o Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TER/AL) está intensificando os trabalhos de conscientização e fiscalização junto à população, e preparando toda a estrutura para garantir que dê tudo certo no pleito. Ao TH Entrevista o presidente do TRE/AL, José Carlos Malta Marques, falou sobre o aplicativo de denúncia e simulado das eleições.

“Historicamente tem sido constatado que é um canal que fica aberto de certo modo para a corrupção eleitoral. Para troca de votos, para compra de votos… Funciona como uma espécie de escambo, onde a mercadoria que se está negociando é o voto”, disse.

Por conta disso, foi realizada uma reunião entre Ministério Público Federal (MPF), a Polícia Federal (PF), TRE e os donos de postos de combustíveis, para orientá-los e coibir esta prática na eleição desse ano. “O posto pode funcionar vendendo a gasolina inclusive aos candidatos, de forma correta, legal, com emissão de nota fiscal e registro das pessoas que estão comprando esse combustível” esclarece o desembargador. “No caso de surgir algum indício de prática vedada pela lei nós teremos como facilmente identificar”, completou.

Mesmo com o trabalho preventivo para evitar que seja necessária a intervenção, o MPF e o TRE estão dispostos para fazer o uso da lei e punir administrativamente e criminalmente todos os casos que forem constatados.

Para testar todo o sistema a ser utilizado no processo eleitoral, o TRE realizou uma eleição simulada com eleitores reais algumas semanas antes do pleito real. Foram testadas 12 hipóteses de erros mais comuns, também foram colocados a prova todos os programas e está tudo funcionando 100% bem, segundo o presidente.

Ainda conforme Malta Marques, a prática é rotineira no período que antecede as eleições para testar todo o sistema de urnas, hardwares, e programas. A eleição é fictícia, mas com modelo real, inclusive com eleitores normais, votando normalmente, como se tivesse votando nas eleições. “Foi atestado que o sistema está afinado e apto para funcionar plenamente nas eleições”.

Esse ano, cada eleitor terá que votar em seis candidatos. Deputados estadual e federal, governador, dois senadores, e presidente. O TRE garante que todos os mesários estão sendo treinados por juízes de todo o Estado para que o processo tenha a maior agilidade possível. O plano que é o trabalho seja feito o mais rápido e mais confortável para os servidores e também eleitores. E ao encerrar a votação, às 17h o resultado deve ser divulgado imediatamente.

Fonte: Tribuna Independente / Emanuelle Vanderlei

Comentários

MAIS NO TH