Política

21 de março de 2018 10:21

Cármen Lúcia deve sofrer ‘constrangimento inédito’ no STF

Ministros da Corte pedirão questão de ordem para que a presidente defina uma data para julgamento de prisão em segunda instância

↑ Decano do STF Celso de Mello (Foto: Agência Brasil)

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) já admitem que a resistência da presidente da Corte, Cármem Lúcia, deve lhe render um “constrangimento inédito” na história do tribunal, nesta quarta (21). Marco Aurélio Mello confirmou, na noite anterior, que deverá ser apresentada uma questão de ordem no plenário para que Cármem Lúcia defina uma data para julgamento final das ações sobre prisão após condenação em segunda instância.

A jornalista Mônica Bergamo afirma que o movimento partirá de Marco Aurélio, mas outros jornais indicaram que ele “não confirma nem nega”, tendo desconversado diante da imprensa sobre essa questão.O que Marco Aurélio fez foi indicar que aguardará a “colaboração” do decano Celso de Mello.

A expectativa é de que, com a questão de ordem, Cármem Lúcia seja obrigada a marcar o julgamento. “Como na Semana Santa não há julgamento, a ideia é que sejam propostas datas após o feriadão, 4 e 5 de abril”, divilgou o Estadão.

Nesta terça-feira (20), o ministro Celso de Mello também confirmou a possibilidade da questão de ordem. “Isso nunca aconteceu na história do Supremo. Ao menos nos quase 29 anos que estou aqui. É para evitar um constrangimento inédito que se sugeriu e a presidente aceitou esse encontro [informal entre os ministros]”, disse.

Cármem Lúcia, que não quer colocar em votação a rediscussão da prisão em segundo grau, não convocou nenhum encontro com os ministros para a terça, conforme havia sugerido Celso de Mello na semana passada.

À imprensa, ela deu a desculpa de que não sabia que ela era quem deveria ter convocado os colegas para o encontro. Os magistrados entenderam como falta de desinteresse.

Fonte: Jornal GGN

Comentários

MAIS NO TH