Polícia

8 de dezembro de 2019 18:50

Sem terra assassinado em Porto Calvo teve plantações incendiadas em outubro

Vítima fazia parte do assentamento da Fazenda Bom Retiro

↑ Ilustração

Mais um assassinato deixou a cidade de Porto Calvo em alerta. Dessa vez aconteceu na tarde da última sexta-feira (6), quando foi assassinado a tiros o trabalhador sem terra Claudemir Lourenço da Silva, de 40 anos, conhecido como “Ninho”. Ele fazia parte do assentamento da Fazenda Bom Retiro, no município de Porto Calvo, em uma área pertencente à Destilaria Santa Maria, que se tornou área de litígio entre a Destilaria e a comunidade acampada de Bom Retiro.

Segundo informações de testemunhas, ele foi assassinado quando estava trabalhando na própria roça. Em outro acontecimento recente, boa parte do plantio de banana maçã e prata de Ninho foram queimadas por pessoas ainda não identificadas. Ele era natural de Caruaru e há 4 anos  morava no acampamento, juntamente com sua esposa Sandra Rogéria de Lima, conhecida como “Betinha”.

O líder comunitário e pastor evangélico Luiz de França, que é morador e Presidente da Associação que representa a comunidade, afirmou para a Polícia que “esse trágico acontecimento abalou toda comunidade acampada, mas confio na justiça para prender os assassinos de Claudemir Lourenço. A morte do companheiro Ninho jamais fará retroceder a luta pela terra e  que todos os acampados estão ainda mais fortalecidos para que seus objetivos sejam atingidos”.

Equipes da Polícia Civil, além dos institutos de Criminalística e Médico Legal foram acionadas para os procedimentos legais, bem como militares do 6º BPM, que realizaram rondas na tentativa de capturar o acusado, sem sucesso. O corpo de “Ninho” foi trasladado para Maceió para autópsia e enterrado na manhã desse domingo no cemitério municipal de Porto Calvo.

Fonte: Claudio Bulgarelli - Sucursal Região Norte

Comentários

MAIS NO TH