Polícia

17 de julho de 2018 08:13

PF realiza operação contra esquema de receptação de mercadorias

Foram cumpridos 173 mandados judiciais nos estados de Alagoas, Bahia, Pernambuco, Ceará, Rio de Janeiro e São Paulo

↑ Apreensão feita durante 'Operação Transbordo' em São Paulo (Foto: Ascom/PF)

A Polícia Federal (PF) em Alagoas deflagrou na manhã desta terça-feira (17) a “Operação Transbordo” cujo objetivo é apurar o envolvimento de empresas envolvidas em suposto esquema de receptação de mercadorias.

Foram cumpridos 173 mandados judiciais expedidos pela 17ª Vara Criminal de Maceió, sendo 106 mandados de busca e apreensão, 64 mandados de prisão e 03 mandados de interdição de empresas envolvidas em receptação de mercadorias.

“A Operação visa desarticular uma organização criminosa envolvida precipuamente em crimes de furto e receptação de cargas e caminhões em diversos estados do nordeste e sudeste, valendo-se de falsas comunicações de crimes de roubo, além de adulteração de veículos, golpes em seguradoras e outros delitos”, explica a assessoria de comunicação da PF em Alagoas.

Ainda segundo a PF, o suposto esquema contava com a participação dos motoristas dos caminhões.

“Eles simulavam terem sido sequestrados por assaltantes, enquanto outros integrantes realizavam a desativação dos dispositivos de segurança do caminhão e a subtração da carga, sendo que ao final o motorista comparecia em um órgão policial para realizar falsa comunicação de crime”, relata a PF em Alagoas.

A operação foi realizada com o apoio da Polícia Rodoviária Federal durante as investigações.

Os mandados estão sendo cumpridos nos estados de Alagoas (18 de busca e apreensão e 11 de prisão); São Paulo (47 de busca e apreensão e 32 de prisão); Rio de Janeiro (dois de busca e apreensão e dois de prisão); Bahia (36 de busca e apreensão e 25 de prisão); Ceará (um de busca e apreensão e um de prisão), e Pernambuco (um de busca e apreensão e um de prisão). “Estima-se que a organização criminosa tenha causado um prejuízo superior a 8,6 milhões de reais apenas em relação à subtração de cargas e caminhões”, pontua a assessoria de comunicação da PF em Alagoas.

Os nomes das empresas nem os das pessoas envolvidas foram revelados pela PF até o final da manhã desta terça-feira.

Fonte: Tribuna Hoje / Redação com assessoria

Comentários

MAIS NO TH