Mundo

15 de fevereiro de 2019 17:48

Homem que matou puma que o atacou diz que ‘instinto de luta’ o salvou

Travis Kauffman mede apenas 1,55 m e pesa 70 quilos, mas conseguiu sobreviver ao ser atacado por um animal jovem enquanto percorria trilha

↑ Travis Kauffman responde a perguntas de jornalistas em coletiva de imprensa em Fort Collins, Colorado, na quinta-feira (14), ao lado de sua namorada, Annie Bierbower (Foto: AP Photo / David Zalubowski)

Quando um jovem puma cravou a mandíbula no pulso de Travis Kauffman e arranhou seu rosto, ele soltou um “grito bárbaro”, enfiou o pé no pescoço do animal e apertou até que o felino parou de se debater e morreu.

Depois de alguns minutos, Kauffmann relembrou na quinta-feira (14), o puma “finalmente parou de se mexer e então as mandíbulas se abriram e eu pude subir a colina e sair de lá”.

Durante tudo isso, disse o homem de 31 anos, o animal permaneceu assustadoramente silencioso.

Foi a primeira vez que Kauffman contou publicamente o ataque de 4 de fevereiro que o deixou com 28 pontos e uma reputação de dureza e coragem, apesar de seu aspecto frágil.

“Eu nunca conseguirei viver à altura dessa reputação”, disse Kauffman, que mede apenas 1,55 metro e pesa 70 quilos. “A história é maior do que a minha forma insignificante”, brincou.

Kauffman disse que estava seguindo uma trilha nas montanhas a oeste de Fort Collins, Colorado, quando ouviu o barulho de algo se movendo entre pinheiros atrás dele. Ele se virou e deu de cara com o puma – também conhecido como leão da montanha – a cerca de 3 metros de distância.

“Um dos meus piores receios foi confirmado”, disse ele.

O felino pulou e Kauffman levantou as mãos e gritou.

O animal cravou os dentes em seu pulso e eles rolaram pelo lado da trilha.

Uma onda de medo passou por ele, disse Kauffman, e ele temia que a mãe adulta do animal se juntasse ao ataque para defender sua prole. Mas nenhum outro animal apareceu.

O medo então deu lugar ao instinto de luta, disse.

Kauffman pegou uma pedra com a mão livre e bateu na parte de trás da cabeça do puma. Ele também tentou espetar galhos nele, mas nada funcionou.

“Eu soube que, se ele não me soltou depois de dois golpes muito bons na parte de trás da cabeça, eu provavelmente teria que fazer algo um pouco mais drástico”, disse. “Consegui jogar meu peso e colocar um pé no pescoço” até ele morrer.

Sangrando de seu rosto e pulso, ele correu de volta pela trilha, onde encontrou outros corredores que o levaram para um hospital.

“Eu fiquei grata por ele ainda ter seus olhos e seus dedos e todas as suas partes, e não pareceu tão ruim quanto eu pensei que poderia”, disse sua namorada, Annie Bierbower.

Funcionários da agência de Parques e Vida Selvagem do Colorado recuperaram o animal morto. Eles disseram que sua investigação e uma necropsia confirmaram o relato de Kauffman.

“Travis é um jovem incrível”, disse Ty Petersburg, gerente de vida selvagem da agência.

Kauffman foi a 22ª pessoa atacada por um leão da montanha no Colorado desde 1990, disse a agência de Parques e Vida Selvagem. Três dos ataques foram fatais.

Um relatório de necropsia disse que o puma que atacou Kauffman era do sexo masculino, com quatro ou cinco meses de idade, pesando entre 16 e 18 quilos. O animal tinha gordura limitada, indicando que estava com fome, mas não desnutrido. Ele não tinha nenhum sinal de raiva ou outras doenças, diz o relatório, mas muitos de seus órgãos foram devorados por outros animais antes que o corpo fosse recuperado.

Os pumas machos adultos têm em média cerca de 150 quilos.

Petersburg disse que os policiais montaram câmeras e armadilhas na área por vários dias após o ataque. Eles não viram grandes pumas, mas capturaram dois jovens com boa saúde. Ambos estão em um centro de reabilitação, e a agência espera liberá-los de volta à vida selvagem.

Kauffman, um consultor ambiental, descreveu-se como um ávido corredor, ciclista e esquiador que tem um gato de estimação em casa. Ele disse que não planeja desistir da vida ao ar livre.

“Eu irei percorrer essas trilhas novamente”, disse ele, mas acrescentou: “Mas agora vou levar um amigo comigo”.

Fonte: AP e G1

Comentários

MAIS NO TH