Mundo

9 de julho de 2018 20:54

Saúde de cinco últimos presos em caverna na Tailândia ‘ainda é boa’

Quatro meninos e técnico do time de futebol que permanecem presos em caverna na Tailândia podem não ser retirados todos de uma vez

↑ Médicos aguardam na entrada da caverna onde 5 ainda estão (Foto: Reuters)

A saúde das cinco pessoas que continuam presas dentro de uma caverna inundada na Tailândia “ainda é boa”, disse o chefe da operação de resgate nesta segunda-feira (9), após confirmar que mais quatro meninos foram retirados com segurança do complexo de cavernas.

Narongsak Osottanakorn informou ainda que as equipes irão retomar a operação para retirar as cinco pessoas ainda presas em cerca de 20 horas. A expectativa é que as atividades na caverna sejam retomadas no final da manhã de terça-feira na Tailândia, madrugada no Brasil.

Além da revisão dos equipamentos e reabastecimento dos tanques de oxigênio, é preciso que os mergulhadores descansem o suficiente para que também não corram riscos durante o resgate.

Até o momento, as equipes de mergulhadores têm tirado os meninos em grupos de quatro, o que significa mobilizar oito mergulhadores de cada vez.

Como agora restam cinco pessoas na caverna — quatro garotos e o técnico do time de futebol —, os planos podem ter de mudar. “Nós fizemos o plano para quatro pessoas, então se eles querem tirar cinco pessoas ao mesmo tempo, eles terão de mudar o plano”, disse o chefe da operação.

17 dias na caverna

Os 13 integrantes do time de futebol Javalis Selvagens se perderam na caverna no dia 23 de junho. Eles faziam um passeio pelo complexo da Tham Luang, na província de Chiang Rai, e foram surpreendidos por uma forte chuva que inundou a caverna e fechou as saídas possíveis.

Os cinco que restam dentro da caverna completarão 17 dias dentro dos túneis escuros e inundados nesta terça-feira.

O estado de saúde dos meninos foi um dos critérios que definiram a ordem com que eles seriam retirados da caverna. No domingo, quando os quatro primeiros foram resgatados, os responsáveis pela operação afirmaram que eles seriam os que estavam em piores condições, necessitando de ajuda médica mais rápida.

Até o momento, nenhum dos oito meninos resgatados foi identificado. Não se sabe, portanto, quem são os quatro que permanecem na caverna. Sabe-se, no entanto, que o treinador de 25 anos está com os garotos.

O grupo recebeu atendimento médico desde os primeiros momentos após serem encontrados, há uma semana, no dia 2 de julho.

Entre os mergulhadores que fazem parte das equipes internacionais de resgate, está o anestesiologista australiano Richard Harris, um veterano em mergulho e resgate de pessoas em áreas submersas.

Fonte: R7

Comentários

MAIS NO TH