Interior

21 de abril de 2021 10:22

FPM da Região Norte de Alagoas cresce 11,49%

Municípios acumulam mais de 65 milhões de reais de repasses nos primeiros quatro meses do ano

↑ No acumulado do ano, repasses para os 10 municípios da região foram superiores aos do ano de 2020 (Foto: Reprodução)

Com a segunda cota do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), depositada nas contas das prefeituras na terça-feira, 20, os repasses de dinheiro do Fundo continuam batendo recordes, mês após mês. A informação é da Confederação Nacional dos Municípios, que afirma que os valores repassados para os cofres municipais até a presente data são 11,49% maior do que no ano passado. Somando os valores da primeira parcela deste mês, que foi 60,20% maior que a mesma do ano passado, adicionada a esta segunda depositada hoje, já é 71,69% maior.

Na Região Norte, para os 10 municípios o repasse da segunda cota chegou a um milhão e 440 mil reais. Paripueira recebeu pouco mais de 120 mil reais; Barra de Santo Antônio chegou a 150 mil; São Luís do Quitunde, 240 mil; Porto Calvo e Matriz de Camaragibe, o repasse foi de 210 mil; Passo de Camaragibe de 150 mil; São Miguel dos Milagres, Porto de Pedras e Japaratinga o repasse foi de 90 mil e Maragogi chegou a 240 mil reais.

No entanto, no acumulado do ano, os repasses para os 10 municípios atingiram um patamar bem superior ao mesmo período do ano passado, chegando a 65 milhões e 891 mil reais.

Maragogi com 9 milhões e 947 mil, São Luís do Quitunde com 9 milhões e 946 mil; Porto Calvo e Matriz de Camaragibe, ambos com 8 milhões e 703 mil foram os municípios que mais receberam repasses.

Segundo a CNM, em todo o Brasil são bilhões disponíveis para investimento na melhoria de vida de toda população. Os números foram fornecidos pela Secretaria do Tesouro Nacional. Ano passado, o valor repassado às prefeituras no primeiro e no segundo repasse do FPM foi de R$ 3,3 bilhões e R$ 885 milhões, respectivamente. Esse resultado, comparado aos deste ano – R$ 5,4 bilhões e R$ 986 milhões – indica que o mês está positivo em 50,12%. Mesmo quando se aplica a inflação do período, o Fundo apresenta crescimento de 41,05%. Entre janeiro e abril, os municípios receberam 21,27% a mais de recursos do FPM ou 15,03%, se considerar a inflação.

Arrecadação federal

Uma melhora na economia no início do ano e recolhimentos atípicos de impostos fizeram a arrecadação federal bater recorde para meses de março. No mês passado, o governo federal arrecadou R$ 137,932 bilhões em impostos, contribuições e demais receitas, com alta de 18,49% acima da inflação em relação a março do ano passado.

Segundo a Receita Federal, este é o maior valor arrecadado da série histórica para meses de março, com início em 1995. No primeiro trimestre, a arrecadação federal somou R$ 445,9 bilhões, com alta de R$ 5,64% acima da inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em relação a março do ano passado. O resultado para os três primeiros meses do ano também é recorde.

A arrecadação federal ainda não sentiu os efeitos da segunda onda da pandemia de Covid-19. Isso ocorre porque a arrecadação do mês passado reflete os fatos geradores de fevereiro. Como os reflexos da atividade econômica na arrecadação levam pelo menos um mês para serem sentidos, o agravamento da pandemia, que ocorreu a partir de março, deverá impactar as receitas do governo a partir de abril.

Fonte: Tribuna Independente / Texto: Claudio Bulgarelli – Sucursal Região Norte

Comentários

MAIS NO TH