Interior

10 de dezembro de 2019 16:00

Secti firma parceria com o Ifal para incubadora de empreendedorismo e inovação de Viçosa

Espaço deve ser inaugurado em março de 2020

↑ Secti fecha parceria com Ifal Viçosa (Foto: Andira Miranda / Ascom Secti-AL)

O Governo de Alagoas, por meio da Secretaria da Ciência, da Tecnologia e da Inovação (Secti) assinou nesta terça-feira (10) um termo de cooperação técnica com o Instituto Federal de Alagoas (Ifal) da cidade de Viçosa. O termo tem o propósito de contribuir com a Incubadora de Empreendedorismo, Inovação e Startups do Instituto, por meio de apoio técnico, a ser inaugurada em março de 2020.

A assinatura se deu durante a primeira edição do evento Start Now Alagoas que tem o objetivo de desenvolver ações que fomentem a cultura do empreendedorismo, estimulando os estudantes aos caminhos da inovação. Ao todo foram 11 equipes que se apresentaram e seis premiadas, sendo três equipes do Ifal e três das escolas estaduais do município de Viçosa. Essas, que foram melhor avaliadas, receberão, posteriormente, mentorias e suporte para que se tornem um negócio.

Segundo a secretária da Secti, Cecília Rocha, é papel da secretaria contribuir com essas iniciativas e estimular esses jovens a transformar boas ideias em negócios, além do desenvolvimento de novas tecnologias. “Estamos fechando hoje uma parceria muito importante para o futuro dos alunos do Ifal Viçosa e de toda a comunidade do entorno. A Incubadora, que terá nosso apoio técnico, prevista para ser inaugurada ano que vem, será um meio de difundir a cultura empreendedora na cidade e ser uma alternativa de geração de novos negócios, emprego e renda” , disse a secretária.

O diretor geral do Ifal Viçosa, Valdomiro Odilon, destacou que os alunos do campus vêm se sobressaindo no estado de Alagoas. “Nossos alunos pensam, sonham e agarram todas as oportunidades e, com isso, estamos crescendo e fazendo com que q juventude mude de vida. Essa parceria com a Secti vai abrir espaço e mercado para nossos estudantes”, afirmou o diretor.

Fonte: Ascom Secti/AL / Texto: Geysa Miranda

Comentários

MAIS NO TH