Interior

27 de agosto de 2019 09:52

Prefeitura de Maragogi vai usar espaço de eventos como estacionamento

Praça João e Nanú passará por adaptação para receber veículos com objetivo é melhorar trânsito da região

↑ Praça receberá marcação de vagas para funcionar como estacionamento (Foto: Ascom Maragogi)

O aumento considerável de carros em circulação pela área do centro, tanto de moradores quanto de turistas, aliados à proibição de estacionar ao longo da Avenida Rui Palmeira, que margeia todo o litoral urbano de Maragogi, onde se encontram hotéis, pousadas e dezenas de restaurantes, fez com que a Prefeitura tomasse uma atitude radical para tentar solucionar o problema. A Praça de Eventos João e Nanú, situada na orla, passará por uma adaptação para ser utilizada também como estacionamento privativo de automóveis. A justificativa da prefeitura é exatamente aquela de que o número de pousadas, bares e restaurantes aumentou consideravelmente na cidade, e a maioria não possui estacionamento próprio.

O espaço será administrado pela Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) de Maragogi. Serão demarcadas 44 vagas, sem mexer na estrutura da praça. O Superintende da SMTT Elias Noé divulgou em nota a decisão: “Acredito que a partir do dia 7 de setembro já estaremos funcionando, já que é o tipo de projeto que não precisa passar pelo crivo da Câmara de Vereadores. Por essa razão, os donos de carros são obrigados a deixá-los na rua, prejudicando o fluxo do trânsito. Às vezes, na faixa amarela, o que é proibido pelo Detran. Na alta estação, os engarrafamentos se tornam constantes.”

O prefeito Sérgio Lira se manifestou totalmente a favor. “Há vários espaços públicos dessa categoria pelos grandes centros, denominados de Zona Azul. Por que lá pode e aqui não? Quem vai para o shopping, paga; quem vai para o aeroporto, paga, e ninguém reclama. Não estamos cobrando taxa de rua. Estamos criando um espaço para tal fim, que antes não tínhamos. Será um estacionamento interno, que vai beneficiar o pessoal da localidade, e isso tem custo. Será de responsabilidade da Prefeitura, qualquer problema com o carro ali guardado, quem será responsabilizada é a prefeitura.”

A arrecadação da taxa de R$ 5 que será cobrada por cada veículo será feita por agentes da SMTT e revertida para melhoria e manutenção da própria SMTT, como reparo da frota de veículos e até contratação de novos agentes, vez que o número atual é insuficiente para manter um serviço de fiscalização eficiente. E também para reparar algum dano que porventura sofra algum veículo.

Fonte: Tribuna Independente / Texto: Claudio Bulgarelli – Sucursal Região Norte

Comentários

MAIS NO TH