Interior

25 de julho de 2019 13:14

Detran promove conscientização em seis municípios alagoanos no Dia do Motociclista

Plano de Segurança Viária para Motociclistas (PSVM) comemora redução de acidentes após início de projeto

↑ Foto: Divulgação

A segunda maior cidade do estado de Alagoas, Arapiraca, foi escolhida em 2016, pelo Departamento de Trânsito de Alagoas (Detran/AL) para desenvolver o Plano de Segurança Viária para Motociclistas (PSVM) que tem como principal objetivo reduzir os acidentes de trânsito com motocicleta por meio de ações integrantes: educação, fiscalização e engenharia de tráfego.

Pensando em potencializar ainda mais a conscientização da população, uma ação integrada acontece em seis municípios alagoanos na próxima segunda-feira (29) para celebrar o Dia do Motociclista. Arapiraca, São Sebastião, São Miguel dos Campos, Campo Alegre, Rio Largo e Palmeira dos Índios serão contemplados.

Edira Soares, analista de trânsito do Detran e coordenadora do PSVM, explicou que o projeto vem ganhando espaço nas cidades alagoanas e o planejamento vem sendo executado e comemorado pela redução significativa de acidentes. “Este ano, o projeto está sendo expandido para mais 12 municípios de Alagoas. A iniciativa privada também faz parte, o Sistema S e a rede de educação”.

4.600 alunos do ensino médio fazem parte do projeto em Arapiraca, bem como na zona rural da cidade, onde, segundo Edira, se concentram a maior parte das vítimas com motos. “Arapiraca e região foi escolhida por conta dos números de acidentes de trânsito com motos e também por ser uma cidade polo”, frisou.

Foto: Arthur Melo

Dados indicam que em 2016 na Unidade de Emergência do Agreste (UEA) foram registrados mais de 14 mil acidentes de trânsito, já em 2018 foram poucas mais de 12 mil, resultando numa redução de 8%, representando mil vidas salvas. “Alagoas teve uma redução de 25% no número de indenizações pagas do seguro DPVAT pela seguradora Líder, por morte e invalidez permanente, quando comparado 2018 com 2017”, comemorou.

MOTO AMIGA

Adeilton Santos, coordenador do Moto Amiga em Alagoas, diz que o projeto iniciou em Recife com o intuito de trabalhar a formação do condutor a partir da execução de treinamentos gratuitos para o público-geral e a categoria específica que vive da motocicleta.

Adeilton Santos, coordenador do Moto Amiga em Alagoas

“O pilar central é a formação, o grande problema da motocicleta (meio demonizado) está em cima da moto, é necessário trabalhar mais na capacitação dos condutores. O motociclista precisa conhecer a dinâmica do trânsito mais amplo, questão de espaço. Então a proposta de promover os treinamentos é justamente despertar a consciência, quando se fala de acidente se fala de vida humana, que é o que tem de mais frágil e precioso, a ideia é salvar vidas”, observou. O coordenador do Moto Amiga avisou que o projeto está na fase de implementação e até o final do ano estará aberto para receber os novos condutores e os mais experientes.

Conforme Edira Soares, no próximo mês começam as visitas nas escolas da rede estadual de Arapiraca e região para acompanhar as produções dos alunos, que serão apresentadas na Mostra Cultural de Educação para o Trânsito em setembro. “A ideia é que os alunos passem a ter uma percepção dos acidentes de trânsito fazendo pesquisas de campo, fazendo peças, músicas, para se apropriar do conhecimento sobre trânsito como cidadão”.

José Edson Cavalcante, educador e membro do grupo PSVM, lembrou que o trabalho seguirá também com alunos da rede municipal de ensino. “O trabalho começou em 2014 com o Programa Educando Jovens para o Trânsito. Dois anos após teve início o PSVM em Arapiraca com palestras, posteriormente as escolas se inscreveram em vários municípios, percebemos a grandiosidade e expandimos mais ainda o plano”, contou. “Empresas e Secretarias de Saúde também fazem parte”, acrescentou. Para ele o reconhecimento é gratificante quando se pensa na adesão ao projeto.

PESQUISAS ACADÊMICAS

No que se refere às pesquisas acadêmicas o Plano de Segurança Viária para Motociclistas (PSVM) vem se destacando. De acordo com Edira Soares, a Universidade de São Paulo já visitou a Unidade de Emergência do Agreste, duas vezes, realizando pesquisas com as vítimas. Disse ainda que existe uma tese de doutorado, que foi a primeira base de dados do PSVM, onde foram identificados fatores e condutas de risco, entre eles, o álcool, representando 42% das vítimas atendidas sob o seu efeito.

Campanhas educativas com a Operação Lei Seca vêm sendo desenvolvidas, incluindo na porta de grandes empresas do agreste no sentido de abordar os colaboradores e havendo irregularidades são levados para uma sala para palestra. “Na rua também acontece da mesma maneira, aborda-se todos os condutores que passam, são direcionados para uma palestra sobre a percepção de risco que não são percebidos no dia a dia”, salientou.

foto

A realização do Plano de Segurança Viária para Motociclistas (PSVM) é feita através das SMTTs, Promoção da Saúde, Projeto Moto Amiga, Sest/Senat, Secretarias estaduais e municipais de Educação e Operação Lei Seca.

Fonte: Tribuna Hoje / Ana Paula Omena

Comentários

MAIS NO TH