Interior

27 de julho de 2017 16:02

Junqueiro fecha lixão e destina resíduos para a CTR do Agreste

Aterro havia sido interditado em fiscalização da FPI do Ministério Público Estadual

Em maio deste ano, o lixão de Junqueiro, município do agreste alagoano, foi interditado durante ação da Fiscalização Preventiva Integrada (FPI) do Rio São Francisco. Na ocasião, foram encontrados resíduos hospitalares, latas de produtos químicos, carcaças de animais, móveis e uma grande quantidade de plástico no lixão a céu aberto.

Um mês depois, a cidade passou a destinar seus resíduos para a Central de Tratamento de Resíduos (CTR) do Agreste e fechou seu lixão, garantindo cuidados com o meio ambiente e com a saúde da população.

No total, já foram enviadas 160 toneladas de lixo do município à CTR, que é responsável por destinar de forma correta para as células os resíduos correspondentes. As Centrais de Tratamento, tanto Metropolitana quanto do Agreste, possuem tecnologia e cuidados próprios para a não contaminação do ambiente, e por isso que esses locais são os adequados para a destinação de resíduos.

Embora possua duas Centrais no Estado, mais dois aterros sob gerencia de municípios, Alagoas tem apenas 28 municípios que destinam corretamente seu lixo. O Instituto do Meio Ambiente (IMA) de Alagoas e o Ministério Público de Alagoas, por meio da Fiscalização Preventiva Integrada (FPI) do Rio São Francisco, tem atuado junto aos municípios para fiscalizar e punir quem não destina o resíduo da maneira correta. 

O Município de Junqueiro integra o Consórcio Intermunicipal do Sul do Estado de Alagoas (Conisul), e é a primeira cidade que faz parte do consórcio a destinar corretamente seus resíduos. 

Comentários

MAIS NO TH