Esporte

12 de outubro de 2021 11:38

CSA já faz contas para tentar um novo acesso para Série A este ano

Com 45 pontos, Azulão pode entrar no G4 na próxima rodada se vencer seu jogo e o rival regatiano tropeçar

↑ Atacante Dellatorre vive grande momento com a camisa do CSA após marcar dois gols na última rodada e aumentar as chances de acesso do clube para a disputa da primeira divisão da temporada 2022 (Foto: Augusto Oliveira / Ascom CSA)

Hora de olhar para calculadora. Nos últimos 5 jogos o CSA acumula 4 vitórias e um empate. Já soma 45 pontos e está bem perto do G4. Curiosamente o adversário da próxima rodada (sexta-feira) é o Goiás, que tem 48 pontos e está em quarto. O Azulão tem esse confronto direto e ainda precisa torcer pelo tropeço do CRB, para entrar no pelotão de elite da Série B. O elenco está motivado e vai tentar buscar esses três pontos fora de casa. Renato Cajá é um deles.

“É um jogo bem equilibrado de dois times que querem subir. Já estive lá e sei a qualidade do adversário. É bom demais marcar, fico feliz. Já estava me cobrando, só entrando no segundo tempo sem conseguir fazer alguns lances. Mas poder voltar, marcar e tá com a família aí. Bom demais. Agora, vamos comemorar e marcar mais”, disse o meia que substituiu Gabriel, que estava suspenso.

Essa dor de cabeça será muito boa para o técnico Mozart. Gabriel volta ao time e quem deve sair? Ontem à tarde teve reapresentação, um trabalho regenerativo. Hoje acontecem os primeiros treinamentos com bola. E na quarta-feira a delegação já embarca para Goiânia. O goleiro Thiago Rodrigues sentiu dores no ombro e preocupa. A pancada foi no mesmo ombro que o tirou de algumas partidas nesta Série b. Por isso ele deixou a partida contra o Brusque e não deve viajar com o grupo para Goiânia. Lucas Frigeri deve ser mantido como titular.

Dellatorre chegou a 17 gols na temporada, sendo 5 na Série B. Mozart encheu a bola do camisa 9. Chamou atenção para o trabalho que ele vem fazendo mesmo quando não balança a rede. “Eu sempre tive muita confiança, falando especificamente do Dellatorre. Eu analiso o centroavante muito mais do que um jogador fazedor de gol. É óbvio que o cara que põe aquela nove nas costas ele por si só tem a obrigação de fazer gols, o torcedor cobra isso dele. Mas ele entrega muito para equipe. Na primeira fase de pressão, é um cara que muda o ritmo para pressionar zagueiro, ataca a profundidade constantemente, sabe flutuar e vir jogar nas costas do volante para preparar para os companheiros que estão de frente”.

O técnico admite que o projeto é mesmo brigar para subir, exaltou a qualidade do elenco, mas avisou que “o time vai trabalhar sem fazer muito barulho”.

“São números expressivos, mas temos que colocar os dois pés bem fincados no chão. Temos que ter muita humildade, e continuar na nossa realidade, jogo a jogo, trabalhando bastante. O CSA é um clube que está acostumado a chegar nesse momento da competição brigando por uma coisa importante. Então, para continuar brigando, precisamos nos preparar bem. É trabalhar agora com muita humildade, sabendo da nossa força, e preparar o time para o jogo de sexta”, ressaltou o comandante.

Fonte: Redação

Comentários