Esporte

8 de abril de 2020 08:09

CBF faz reunião virtual com clubes para definições do Brasileirão 2020

Clubes querem começar a planejar um protocolo para a volta gradual das competições

↑ Bola em campo antes de Cruzeiro e Coimbra, pelo Campeonato Mineiro 2020, já com portões fechados (Foto: Gazeta Press)

CRB concorda com jogos de portões fechados. CSA é contra. Dirigentes de 40 clubes das Séries A e B do Campeonato Brasileiro se reuniram por teleconferência com a CBF nesta terça-feira (7). A pauta oficial da conversa foi a negociação de direitos internacionais. Mas há outro assunto que foi conversado.

Os clubes querem começar a planejar um protocolo para a volta gradual do futebol, interrompido em todo o país no mês passado por causa da pandemia do coronavírus. Executivos e cartolas disseram que há uma série de ideias colocadas sobre a mesa para serem debatidas. Mas datas, não. O consenso é que isso só poderá ser colocado em prática quando o avanço do vírus for contido no Brasil. Mesmo assim, ninguém quer que os estaduais sejam abandonados.

Segundo as pessoas ouvidas, estaduais e torneios regionais são competições ideais para a volta gradual do futebol. Com portões fechados e com transmissão de emissoras de TV. Há ansiedade pelo retorno por causa das rendas dos pequenos e do dinheiro de televisionamento dos grandes. Em São Paulo, por exemplo, a Globo não pagou a última parcela dos direitos de transmissão do Campeonato Paulista.

Em Alagoas, os dirigentes Marcos Barbosa e Rafael Tenório, de CRB e CSA, afirmaram para Tribuna Independente opiniões contrárias. “Sou totalmente contra retorno de portões fechados”, disse Tenório. “Pior é ficar parado com mais prejuízo no futuro. Se você joga, tenta arrumar patrocinador para bancar a realização do jogo com portas fechadas e transmissão de TV”, detalhou Barbosa.

JOGADORES

Jogadores de clubes da Série A e membros do seu estafe responsáveis por gerir suas redes sociais afirmam que há um receio generalizado de reações agressivas de torcedores caso se posicionem contra redução salarial proposta por seus clubes. Pessoas ligadas a atletas de várias equipes afirmam que as redes já têm sido palco de constantes cobranças a respeito do assunto.

Fonte: Tribuna Independente

Comentários

MAIS NO TH