Entretenimento

22 de junho de 2021 07:56

Sucesso nas redes digitais, cantor almeja carreira nacional

Higlander Cavalcante fala do seu novo projeto na pegada do “Arrochanejo”

↑ Highlander Cavalcante nasceu no interior do Mato Grosso, mas se mudou para Alagoas aos 9 anos (Foto: Edilson Omena)

Sucesso nas plataformas digitais, o cantor e compositor Highlander Cavalcante conta que está preparando o lançamento de duas músicas inéditas e o lançamento do “Dvzinho Acústico” para breve.

Distante dos palcos devido à pandemia, Highlander conta que precisou se reinventar para enfrentar a situação e continuar garantindo o entretenimento do público, que se mantém fiel e crescente. “É muito difícil passar por esse momento principalmente por estamos acostumados com o calor do público, com os palcos e aglomerações. Assim como os demais setores tivemos que nos adaptar, mas é triste mesmo’’, comenta o cantor.

O músico nasceu no interior do Mato Grosso, mas se mudou para Alagoas aos 9 anos. Antes mesmo da mudança para o município de Flexeiras, na Zona da Mata do Estado, ele cultivava o sonho de ser cantor. Agora, aos 22 anos, o artista – que se diz alagoano de coração – continua sua jornada em busca de reconhecimento nacional. “Comecei na música muito cedo, por incentivo de familiares e estou na luta. Meu objetivo é conquistar uma carreira nacional. Em Alagoas, o público já nos abraçou e me apoia. Muitos já pedem músicas nas rádios e me reconhecem nas ruas”, comemora.

Recentemente ele lançou a música ‘Coração Covarde’, já disponível nas plataformas digitais. “A música, um sertanejo com arrocha, chega acompanhada de um clipe, também disponível no YouTube”, comenta.

Ao longo da sua trajetória, Highlander, gravou dois CDs, já cantou em festas de São João, festividades públicas, bem como em casas noturnas em Alagoas e outros estados, dividindo o palco com grandes artistas nacionais, como Marília Mendonça, Gabriel Gava, a Dupla Zé Ricardo e Thiago, entre outros.

Em seu novo projeto o “Dvdzinho Acústico”, o cantor e compositor diz que o público pode esperar o melhor. “Podem ter a certeza de que farei o possível para estar sempre surpreendendo a todos positivamente”, conta.

Higlander disse que está na torcida para que tudo volte ao normal e chegue vacina para todos e ele e os demais artistas voltem para o local que estão aptos. “A música é minha vida, minha terapia, ficar sem me apresentar é como se me tirassem uma das melhores partes de mim. É um castigo ficar longe dos palcos para todos que vivem da música”, lamenta.

Highlander foi criado por sua avó e sua mãe, grandes incentivadoras para que ele se tornasse cantor. A sua relação com a música começou quando, aos 10 anos, ele ganhou seu primeiro violão, presente de seu tio, que sabia da vontade que o garoto tinha de aprender a tocar, uma paixão que começou aos cinco anos de idade.

Mas foi aos 13 anos que as coisas mudaram de rumo. O cantor e compositor conheceu seu pai e o amigo de seu primo, que ouviram uma gravação antiga e insistiram na ideia de que ele deveria começar a cantar na noite. Com apoio do pai, ele começou a cantar em todas as cidadezinhas próximas da região, como Satuba, Coqueiro Seco e Santa Luzia do Norte.

 

Fonte: Tribuna independente

Comentários

MAIS NO TH