Educação

17 de dezembro de 2019 09:08

Após o término do estágio, universitários não querem tentar uma vaga celetista

Para os estudantes, buscar uma outra experiência em algum programa estágio pode ser mais vantajoso para o currículo

Durante a universidade, o principal objetivo do estudante é conseguir uma vaga de estágio para adquirir experiência para que futuramente possa encarar uma boa oportunidade de emprego, no entanto, engana-se quem pensa que ao acabar o estágio, o aluno deseja se candidatar a uma vaga celetista.

De acordo com a pesquisa “O perfil do candidato à vaga de estágios – 2019”, da Companhia de Estágios, consultoria especializada em programas de estágios e trainees, 35% dos universitários brasileiros pretendem estagiar novamente, ao invés de buscarem uma oportunidade no mercado celetista. Por um outro lado, 20% desejam se candidatar a uma vaga CLT após terminar algum programa de aprendizado.

Mais experiência no currículo

Segundo o diretor da Companhia de Estágios, Tiago Mavichian, o estágio é a porta de entrada para o mercado de trabalho e mesmo que o universitário já tenha concluído esse período, buscar por uma nova oportunidade para estagiar, as vezes, é a melhor opção para adquirir mais experiência ao invés de sair a procura de uma vaga CLT.

Sendo assim, mais de uma experiência na conta pode ser vantajoso. “Outra oportunidade de estágio significa testar uma nova área, ou uma empresa de outro segmento. Na prática é mais aprendizado e repertório que o estudante adquire para entender e testar as áreas que mais gosta para no futuro se aplicar para vagas efetivas”, detalha.

Ser efetivado também é um desejo do universitário

Se por um lado, alguns preferem buscar novas oportunidades, há aqueles que pretendem construir uma carreira na empresa que estagiam. De acordo com o levantamento, 38% gostariam de ser efetivados no atual emprego. “Empresas mais estruturadas oferecem essa possibilidade ao estudante, o que é ótimo, pois assim o universitário consegue ter uma certa estabilidade profissional e já pensar, por exemplo, em uma pós-graduação”, explica o diretor da Companhia de Estágios.

Montar plano de carreira é importante desde o estágio

Todo profissional deve ter em mente um plano de carreira a ser traçado, pois essa é uma maneira de alcançar os objetivos profissionais sem perder o foco. E mesmo que o estagiário ou universitário ainda estejam no início, pensar de forma estratégica facilita a empreitada do aluno.

Entretanto, é importante entender que não é possível ter controle de tudo. “Certamente o estudante precisa compreender que algumas coisas não saem sempre da forma como planejamos, porque diversos fatores precisam contribuir com o sucesso da carreira dele, começando pelas oportunidades no mercado. No entanto, se houver clareza com relação as metas, a trajetória pode ser um pouco mais fácil. É necessário pensar em quais áreas ele gostaria de trabalhar, quais estágios são compatíveis com os interesses dele, se é possível investir em um intercambio ou estudar um outro idioma. São muitos detalhes que devem ser colocados em ordem de prioridade de acordo com a área e objetivos do universitário”, explica Mavichian.

Partindo desse ponto, não há problema em terminar um estágio e querer iniciar outro ou desejar ser efetivado na empresa, de acordo com o diretor da Companhia de Estágios, o mais importante na carreira profissional, especialmente, nessa fase, é ter objetivos e percorrer caminhos para alcança-los. “Não há um caminho certo, mas é preciso conhecer o mercado de trabalho para estabelecer metas. Ter esse plano traçado é o que ajuda o universitário entender se ele deve buscar um outro estágio ou se já está pronto para uma vaga efetiva”, conta.

Para quem ainda não estagia…

Se há estudantes que anseiam ser efetivados na empresa ou que acreditam que precisam fazer outro estágio, há também aqueles que ainda não conseguiram conquistar um espaço no mercado.

E para 52% dos entrevistados que ainda não estagiam, não existe diferença no nível de dificuldade e competitividade entre as vagas de estágios e celetistas. Segundo Mavichian, o mercado para os universitários é muito competitivo, por isso é importante se preparar.‘’Cursos extras, inglês, Excel e trabalho voluntário por exemplo contam bastante para enriquecer o currículo e chamar atenção dos recrutadores; assim as chances de ser chamado para a entrevista aumentam” finaliza.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH