Economia

11 de agosto de 2020 10:11

Braskem dispara na Bolsa ao citar venda

Segundo analistas, é o mercado dando adeus à Petrobras e à Odebrecht; companhia detém 50,1% das ações ordinárias

↑ Mais transparência: Braskem pode se tornar uma empresa sem controlador (Foto: Ilustração)

A Braskem (BRKM5) viveu um dia de forte alta na Bolsa, impulsionada pela notícia de que a Odebrecht vai vender toda a sua participação na petroquímica. Atualmente, a companhia detém 50,1% das ações ordinárias, o que lhe garante o controle, e 38,3% do capital total.

Às 13h02, os papéis da Braskem avançavam 4,45% e eram negociadas por R$ 24,43. O desempenho é ainda mais significativo, quando se lembra que o Ibovespa, principal índice da B3 (B3SA3), caía 1,26%, para 101.478 pontos, no mesmo instante.

Conforme um documento enviado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) na noite de sexta (7), a Odebrecht já iniciou o processo de venda das ações da Braskem. De acordo com a nota, a alienação seria privada. A companhia informou que tomará as providências necessárias para organizar um processo dessa natureza, com o apoio de assessores legais e financeiros.

A Petrobras (PETR3; PETR4) é também acionista e possui 47% do votante e 36,1% do total. O restante tem negociação no mercado acionário.

Sem dono

Os investidores não são os únicos que gostaram da notícia; os analistas também. Luis Sales, da Guide Investimentos, considera a operação positiva para a Braskem. Outro fator positivo, segundo ele, é a disposição de migrar a companhia para o Novo Mercado, segmento de maior governança corporativa da B3.

“Isto contribuiria para que a empresa se valorizasse, além de que facilitaria a saída da estatal [Petrobras]”, afirma o analista. “Ainda, existe a expectativa de que a companhia se transforme em corporação ‘pura’ [isto é, sem um controlador], a partir da venda de suas duas maiores acionistas em bolsa”, conclui.
Afundamento de solo

Em Alagoas, a empresa enfrenta um grave problema decorrente do afundamento de solo em quatro bairros em Maceió, fenômeno causado pela atividade mineradora.

São cerca de 40 anos de extração de sal-gema provocando crateras nas ruas e rachaduras em milhares de imóveis na capital alagoana.

Os processos de pagamentos de indenizações já foram iniciados por parte da Braskem, após acordo assinado com proprietários e órgãos como o Ministério Público e a Defensoria Pública.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH