Economia

18 de abril de 2018 20:19

Índices europeus avançam impulsionados por mineradoras

FTSEurofirst 300 subiu 0,3 por cento, a 1.496 pontos

↑ Imagem: Ilustração

Os mercados acionários europeus avançaram nesta terça-feira para novas máximas de sete semanas, sustentados por resultados corporativos favoráveis e pela alta nas ações de mineração diante do aumento nos preços dos metais.

O índice FTSEurofirst 300 subiu 0,3 por cento, a 1.496 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhou 0,29 por cento, a 382 pontos.

O índice de materiais básicos, que acompanha grandes mineradoras como a Glencore, subiu 4,4 por cento, seu maior ganho de um dia desde a eleição presidencial dos Estados Unidos em novembro de 2016.

Os preços do metal subiram de forma generalizada. O níquel registrou seu maior ganho em um dia desde a crise financeira, com o que os analistas dizem ser uma preocupação equivocada de que o metal se envolva em sanções dos EUA contra empresas russas.

No setor, a mineradora de metais preciosos russa Polymetal, cujas ações foram afetadas pelas preocupações com as sanções dos EUA, subiu 12 por cento depois de dizer que sua receita no primeiro trimestre subiu 19 por cento na base anual.

A Glencore teve alta de 7,7 por cento, a Aurubis subiu 6,6 por cento, enquanto a Rio Tinto ganhou 5,4 por cento.

Os resultados das empresas foram recompensados com um salto nas ações, como o grupo de alimentos francês Danone que subiu 1,5 por cento depois que suas vendas no primeiro trimestre superaram as previsões, devido à forte demanda por alimentos para bebês na China.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 1,26 por cento, a 7.317 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,04 por cento, a 12.590 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,50 por cento, a 5.380 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 0,47 por cento, a 23.759 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 0,54 por cento, a 9.857 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 0,78 por cento, a 5.500 pontos.

Fonte: Reuters

Comentários

MAIS NO TH