Cooperativas

26 de março de 2020 18:58

Cooperativa faz campanha para arrecadar alimentos

Comercialização de recicláveis está parada

↑ (Foto: Davi Salsa)

As cooperativas de materiais recicláveis em Maceió e Marechal estão com a coleta seletiva interrompidas por medida de segurança, com autorização das prefeituras com as quais possuem contrato de prestação de serviços, mas temem ficar sem receber no período de paralisação.

A situação da pandemia global, ocasionada pela difusão do novo vírus Covid-19, tem provocado mudanças na rotina de toda a população, visto que a forma mais eficaz de prevenir o contágio é o isolamento social, por consequência, diversas atividades econômicas foram suspensas causando transtornos em diversos segmentos da economia.

A cadeia produtiva da reciclagem é bastante excludente em relação à valorização do trabalho dos catadores e catadoras de materiais recicláveis e com a expansão da pandemia do coronavírus, as cooperativas e associações de catadores tiveram a coleta seletiva suspensa nas cidades em que realizam, haja visto que os catadores estão diariamente nas ruas, em contato com o público diretamente e manipulam objetos que podem está contaminados, podendo dessa forma, causar contaminação comunitária.

Assim, a continuidade da coleta seletiva se tornou inviável. Porém, os catadores desses empreendimentos econômicos solidários vivem em situação de vulnerabilidade social e econômica, tendo sua renda oriunda da comercialização desses materiais recicláveis, desta forma, estão sujeitos, ainda mais, ao aumento da miséria nos próximos meses em decorrência da diminuição ou estagnação da produção e a dificuldade para comercializar os materiais. Neste sentido, se faz necessário a criação, em caráter emergencial, de políticas públicas mitigadoras.

Fonte: Tribuna Hoje, com assessoria

Comentários

MAIS NO TH