Cooperativas

4 de março de 2020 20:46

Governo de AL firma compromisso para implantar descarte correto de baterias automotivas

Meta estipulada é que até 2023 sejam coletadas, de forma correta, 90% dessas baterias em todo o Estado

↑ (Foto: Ilustração)

Com o objetivo de implementar o Plano de Logística Reversa e Responsabilidade Pós-Consumo de Baterias Chumbo-Ácido, que são usadas normalmente em veículos automotivos, a Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) se reúne com algumas instituições para realizar a assinatura de um termo de compromisso. A solenidade acontecerá no auditório da Semarh, em Jacarecica.

Representantes do Instituto do Meio Ambiente de Alagoas (IMA), da Associação Brasileira de Baterias Automotivas e Industriais (Abrabat), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Alagoas (Fecomercio – AL) e do Instituto Brasileiro de Energia Reciclável (Iber) assinam juntamente com a Semarh o termo que propõe a implementação de um sistema composto por pontos e serviços de coleta, transporte, armazenamento e a destinação final ambientalmente adequada.

As baterias de chumbo ácido são acumuladores de energia usados essencialmente em veículos automotores, que depois da sua vida útil, se tornam um resíduo perigoso que devem ser gerenciados de forma correta. Elas não podem ser descartadas no lixo doméstico nem ser disponibilizadas para a coleta seletiva, ou cooperativas de catadores, por conterem metais pesados e ácido, podendo causar significativo impacto ambiental além de danos à saúde, se manuseadas de forma incorreta.

“A Semarh se compromete em fomentar as ações do Plano Nacional de Resíduos Sólidos, seja desenvolvendo projetos de gestão dos resíduos sólidos no âmbito intermunicipal ou regional, seja incentivando a adoção de práticas que promovam a valorização de produtos fabricados com material reciclado pós-consumo, para que possam seguir em um constante avanço para tornar Alagoas um estado mais sustentável”, explicou o Secretário do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Fernando Pereira.

A logística reversa desse tipo de metal pesado contribui para uma significativa redução do descarte ilegal de chumbo ácido no meio ambiente, além de reduzir o comércio ilegal e, ainda, gerar menos demanda de extração natural de chumbo para essa finalidade.

Os fabricantes e importadores aderentes ao termo serão responsáveis por encaminhar para a reciclagem 100% do que for coletado das baterias inservíveis, que são as baterias de chumbo-ácido que não apresentam mais a capacidade de acumular e entregar energia elétrica, para as empresas recicladoras. A meta estipulada é que até 2023 sejam coletadas 90% dessas baterias em todo o Estado de Alagoas.

Fonte: Ascom Semarh/AL / Texto: Alexandre Ferrari

Comentários

MAIS NO TH