Cidades

7 de maio de 2021 16:16

Prefeitura de Maceió recolhe 750 toneladas de resíduos nas praias de Maceió

Equipes trabalham 24 horas por dia para manter a orla limpa

↑ Limpeza nas praias de Maceió (Foto: Secom Maceió)

Maceió possui uma das orlas mais bonitas do país. Por isso, visando mantê-las limpas e atrativas para seus residentes e turistas que visitam a cidade, a Prefeitura de Maceió, por meio da Superintendência Municipal de Desenvolvimento Sustentável (Sudes), mantém equipes trabalhando 24 horas por dia na faixa de praia. Em abril, foram retiradas 750 toneladas de resíduos do local. Desde janeiro, foram mais de 2.700 toneladas recolhidas.

Trabalhando com compactadores e tratores, além do serviço manual, mais de 20 homens operam em três turnos para recolher todo tipo de resíduo encontrado na orla. A origem desse lixo é o descarte irregular feito pela população, tanto em córregos que cruzam a área urbana, quanto de visitantes que não utilizam as lixeiras disponibilizadas para o descarte correto.

Assessor Especial da Sudes, Robert Wagner lamenta a falta de consciência ambiental das pessoas que fazem o descarte incorreto de resíduos. “É difícil entender como a população da nossa cidade não cuida de algo tão lindo como a nossa orla. A Prefeitura de Maceió trabalha incansavelmente para manter o local limpo, mas não encontra o apoio do cidadão, que continua descartando seu lixo nas ruas, praças e córregos”, disse Wagner.

Dentre os resíduos mais encontrados nesse montante, está o plástico, que possui um elevado tempo de decomposição, pode causar a morte de animais marinhos e grandes impactos ambientais. Para descartar esse material ou qualquer reciclável, a Prefeitura de Maceió oferta 21 Pontos de Entrega Voluntária (PEVs) nas principais avenidas e praças da capital.

“Se cada um fizer sua parte, nós podemos ter praias mais limpas e menos consequências negativas para o meio ambiente. Esse lixo deixado na orla não afeta só a natureza, mas também traz prejuízos econômicos e para os banhistas”, completou Wagner.

Fonte: Ascom Sudes / Texto: Alexandre Vieira

Comentários

MAIS NO TH