Cidades

19 de julho de 2019 09:09

Mutange: confirmado plano de evacuação

Áreas de encosta do bairro e do Jardim Alagoas passam por cadastramento; Executivo aguarda liberação de aluguel social

↑ Por serem consideradas áreas de extremo risco, as encostas do Mutange e Jardim Alagoas terão que ser evacuadas para evitar tragédias (Foto: Adailson Calheiros)

A Prefeitura de Maceió confirmou à reportagem da Tribuna Independente que após o cadastramento das famílias do Mutange irá definir o plano de evacuação das áreas de encosta do bairro e do Jardim Alagoas. Além disso, o executivo aguarda a liberação da primeira parcela de aluguel social para as regiões.

“A Prefeitura informa que após a conclusão do cadastramento e a liberação da primeira parcela do aluguel social, será definido, junto com as demais instituições envolvidas, o plano de evacuação das áreas de encosta do Mutange e do Jardim Alagoas”, disse em nota.

Previsto para ser concluído nesta quinta-feira (18), o cadastro segue até o próximo sábado (20).

Segundo a Prefeitura, o novo prazo foi dado para as famílias que perderam os dias específicos para cada rua.

“O atendimento será dedicado a todos os moradores das casas listadas no levantamento populacional que perderam o prazo e segue durante toda a semana”, explicou a Secretaria de Comunicação de Maceió.

Para a presidente da Federação das Associações de Moradores e Entidades Comunitária de Alagoas (Famecal), Silverônia Galdino inicialmente havia muita tensão entre os moradores que temiam sair dos seus imóveis sem garantias de que teriam outra moradia ou mesmo o aluguel social o que dificultou o cadastro.

“Logo no início havia sim uma recusa, porque faltavam informações. No início estavam em dúvida, estavam com medo. Os próprios moradores estavam com muitas dúvidas, havia aquela tensão a respeito do aluguel social, quem está passando a dificuldade é quem sabe. Eles moram lá. Apesar de ser uma área de encosta, insegura, mas a casa é deles, eles é que moram lá, e quem quer deixar suas casas, de imediato, sem nenhuma garantia?”, pontua a representante.

Mas segundo Silverônia, a partir da conscientização dos moradores e de um maior número de informações, a resistência tem sido atenuada e a expectativa é que todos os moradores atingidos sejam cadastrados.

“Isso [cadastro] foi sendo esclarecido e tem havido sim procura. Tanto que o cadastro era dividido por ruas, mas a partir de hoje [ontem] os moradores vão ser atendidos por ficha, tem havido procura sim. A conscientização tem ocorrido. A partir do momento que as pessoas começaram a ser esclarecidas, sobre o que realmente ia acontecer, do que é um aluguel social, que a própria liderança começou a explicar, tirou as dúvidas, eles começaram a aderir. Para eles é tudo novo, acabam ficando receosos, mas estão aderindo com certeza”, avalia.

De acordo com o líder comunitário Waliston Silva, a procura pelo cadastro tem crescido.

“Está havendo uma grande procura por parte dos moradores. Estivemos no local de cadastramento e vimos uma grande quantidade de pessoas indo ao local”, resume.

 

Fonte: Tribuna Independente / Evellyn Pimentel

Comentários

MAIS NO TH