Cidades

3 de abril de 2019 08:34

Missa vai lembrar um ano do assassinato de advogado

José Fernando Cabral de Lima foi morto a tiros dentro do escritório; sócio dele está preso acusado de encomendar a morte

↑ Advogado José Fernando Cabral de Lima, de 51 anos, morto com dois tiros na região da cabeça (Foto: Arquivo pessoal)

Familiares e amigos se reúnem, na noite desta quarta-feira (3), a partir das 19h, na Igreja Nossa Senhora da Assunção, no bairro de Santo Eduardo, em Maceió, para lembrar um ano da morte do advogado José Fernando Cabral de Lima.

Ele foi assassinado aos 51 anos, com tiros disparados à queima roupa, dentro de uma sala comercial de uma galeria no bairro de Ponta Verde. O espaço pertencia ao então sócio da vítima, que virou réu no processo. O crime, ocorrido na manhã do dia 3 de abril de 2018, teve grande repercussão à época.

O advogado Thiago Pinheiro, que atua como assistente de acusação deste caso, explicou que, atualmente, o processo aguarda sentença de pronúncia dos réus (autores materiais e o intelectual). O pedido é para que os réus sejam levados a júri popular.

O advogado Sinval José Alves está preso desde abril do ano passado e é apontado como o mandante do homicídio. Irlan Almeida de Jesus e Denisvaldo Bezerra da Silva Filho são acusados de atirar contra a vítima. Todos estão presos, mas negam qualquer envolvimento com o assassinato.

A Justiça já bloqueou o equivalente a R$ 2 milhões em bens de Sinval para que seja garantida a indenização da família de José Fernando Cabral (a esposa e duas filhas). O acusado apelou contra a decisão, mas seu pedido foi negado.

As investigações da polícia indicaram que Sinval tinha uma dívida de R$ 600 mil com a vítima, referente a honorários advocatícios recebidos pelo escritório. A morte, portanto, teria sido encomendada por causa das cobranças feitas ao devedor por parte de José Fernando.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH