Cidades

20 de setembro de 2018 10:16

Semana Nacional da Educação tem debate com a população em Maceió

Sindicato fez enquete com transeuntes sobre profissão de professor

↑ Sinteal fez panfletagem no Centro de Maceió (Foto: divulgação)

O Sinteal realizou, na manhã desta quarta-feira (19), um Ato público em defesa da Educação e da Memória de Paulo Freire, no Calçadão do Comércio, em Maceió. A atividade faz parte da programação da 19ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública, com o tema “Pensar em Educação é pensar no Brasil. Nosso futuro depende do seu voto”, organizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação e sindicatos filiados.

Com participação de representantes de várias cidades de Alagoas, trazidos pelos núcleos regionais do Sinteal, a manifestação realizou panfletagem e promoveu interações com a população sobre a importância da educação pública e da profissão de professor. Uma enquete foi realizada, com as seguintes perguntas: 1 – Você acha importante a educação para o desenvolvimento de Alagoas e do Brasil?; 2 – Você acha que os governos municipal, estadual e federal estão garantindo educação de qualidade para seu filho?; e 3 – Você gostaria que seu filho/a fosse professor/a?

A resposta da população reafirmou a visão positiva que a população tem sobre a educação e o seu papel na sociedade, além de reconhecer que os governantes não estão garantindo educação de qualidade para o seu filho. Todas as pessoas reconheceram que professor é uma carreira digna e defenderam a valorização deles, mas algumas disseram que não gostariam que seus filhos seguissem a carreira, porque não tem recebido o devido reconhecimento.

Célia Capistrano, vice-presidenta do Sinteal, explicou porque a escolha do tema e da data. “Estamos nos aproximando das eleições, esse é o momento em que as pessoas vão escolher seus governantes, colocar na mão de alguns o destino da educação do país. Por isso, a semana nacional em defesa e promoção da educação pública vem para alertar a população de que o futuro está nas mãos de cada um na hora de votar. É preciso eleger aqueles que defendem a educação verdadeiramente, não apenas na hora da campanha eleitoral” disse ela.

O ato também defendeu a memória de Paulo Freire, patrono da educação. Pela contribuição que o escritor deu para a educação, e por conta dos ataques que tem sofrido junto com a democracia. Girlene Lázaro, diretora da CNTE, falou que “Defender Paulo Freire é defender uma educação libertadora, que leva as pessoas a pensar, e não a obedecer. É essa a pedagogia que acreditamos e está sob ameaça com esses ataques a democracia e essa tentativa de acabar com a educação no nosso país. Não há desenvolvimento sem a educação”, garantiu ela.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH