Cidades

19 de setembro de 2017 07:58

Cresce número de indenizações do seguro DPVAT em Alagoas

De janeiro a junho deste ano, 2.373 vítimas de acidentes receberam seguro no Estado contra 2.047 no mesmo período de 2016

Os números de indenizações pagas no primeiro semestre de 2017 pelo Seguro de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de via Terrestre (DPVAT) registraram aumento em Alagoas quando comparados ao mesmo período de 2016. De acordo com a Seguradora Líder, administradora do seguro DPVAT, de janeiro a junho deste ano foram pagas 2.373 indenizações. O número representa um aumento de 16%, já no mesmo período do ano passado foram 2.047 indenizações pagas.

O número de indenizações pagas por invalidez permanente contabiliza o maior número. No primeiro semestre do ano foram 1.822 indenizações pagas e no ano de 2016 foram 1.631 um aumento de 11,71%.

Morte no trânsito também contabiliza um aumento. De janeiro a junho foram 315 indenizações contra 237 no mesmo período de 2016, um aumento de 5,21%.

O reembolso de despesas médicas e hospitalares (Dams) também teve aumento em Alagoas, segundo a Seguradora Líder. Em 2016 foram pagas apenas 179 indenizações de Dams e em 2017 o número subiu para 236.

O DPVAT oferece coberturas para morte, invalidez permanente e reembolso de despesas médicas e hospitalares. As indenizações vão até R$ 13.500, em caso de mortes.

Maioria das mortes no país foi de motociclistas

As indenizações por morte contemplam acidentes onde as vítimas são motoristas, pedestres e passageiros. De acordo com o boletim estatísco da Seguradora Líder  deste ano, dos 10.857 motoristas mortos, 65% (7.036) deles eram motociclistas.

O levantamento feito pela seguradora mostra que 75% das indenizações pagas no primeiro semestre de 2017 foram para homens entre 18 e 34 anos que estavam dirigindo o veículo. Desse total, 89% eram formados por motociclistas.

Em todo país, o número de indenizações em 2017 aumentou 27% em relação ao mesmo período do ano passado, subindo de 15.192 para 19.367.

MOTOCICLISTAS

Em todo o país, a motocicleta foi o veículo com o maior número de indenizações no primeiro semestre de 2017. Apesar de representar apenas 27% da frota nacional, concentrou 74% das indenizações.

Das indenizações pagas no período para acidentes com motocicletas, 80% foram para invalidez permanente e 7% para morte. 89% das indenizações por morte em acidentes com motocicletas foram para vítimas do sexo masculino. Para os casos de vítimas com sequelas permanentes, 79% das indenizações por acidentes com motocicletas também foram para vítimas do sexo masculino, enquanto as indenizações por acidentes com os demais veículos, pagas também para os homens, representaram 67%. O que demonstra que a concentração de vítimas do sexo masculino é maior nos acidentes com motocicletas do que com os demais veículos.

As vítimas de acidentes com motocicletas são em sua maioria jovens em idade economicamente ativa. A região Nordeste concentrou 39% das indenizações por morte e invalidez permanente por acidentes com motocicletas no período analisado. As motocicletas representam 44% da frota de veículos da região Nordeste, enquanto que no Brasil representam 27%.

PRAZO

Para receber o benefício, as vítimas devem apresentar os documentos necessários no ponto de atendimento escolhido no prazo de três anos, a contar da data do acidente. No site da Seguradora Líder (http://bit.ly/2wG2rQ8) é possível encontrar a relação de locais de atendimento e os documentos necessários para cada tipo de indenização.

Não é necessário advogado. O valor da indenização é de R$ 13.500 no caso de morte, até R$ 13.500 nos casos de invalidez permanente – variando conforme o grau da invalidez – e de até R$ 2.700 em reembolso de despesas médicas e hospitalares comprovadas.

O pagamento é feito em conta corrente ou poupança da vítima ou de seus beneficiários, em até 30 dias após o envio da documentação exigida.

Fonte: Tribuna Independente

Comentários

MAIS NO TH