Saúde

8 de Fevereiro de 2018 16:04

Médico lança desafio aos brasileiros para um futuro melhor

Hemerson Casado propõe à sociedade e à iniciativa privada mudança em cenário financeiro, social, cultural e estrutural com Polo de Biotecnologia e Saúde

↑ Reunião com cientistas brasileiros (Foto: Assessoria)

O cardiologista Hemerson Casado Gama, ativista e portador de Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) há seis anos, apresentou em audiência pública no ano de 2015 um projeto capaz de mudar a realidade de Alagoas e do Brasil. Trata-se do Polo de Biotecnologia e Saúde, empreendimento ainda inexistente na América Latina e capaz de reunir em três módulos: Hospital de “Doenças Raras” e Centro de Reabilitação; Polo de Pesquisa e Condomínio Industrial para fármacos.

Existem, no Brasil, 16 milhões de famílias com portadores de algum tipo de doença rara. E um Polo de Biotecnologia e Saúde representa diversos impactos positivos como geração de emprego de qualidade – diretos e indiretos – em diversas áreas; formação e qualificação de profissionais; atendimento humanizado e capacitado para portadores de doenças raras; desenvolvimento da região do entorno do empreendimento, com destaque para a rede hoteleira, alimentícia e de transporte; modernização de escolas de ensino médio com a construção de laboratórios de pesquisa e tecnologia.

Além disso, estimula a atração e o desenvolvimento de eventos científicos nacionais e internacionais, de nível médio e superior, como workshops, feiras de ciência, premiações, entre outros; fomenta a produção científica no Brasil, a vinda de pesquisadores internacionais; a formação de graduação e método de educação à distância; fomenta a formação de mestres, doutores e pós-doutores; estimula convênios com universidades nacionais e internacionais, e a criação de patentes e novas tecnologias.

Diante desse cenário promissor e das necessidades e desafios diários enfrentados por milhares de famílias com entes acometidos por doenças ainda de difícil diagnóstico e muitas vezes sem cura, o Dr. Hemerson Casado, presidente de Associação que leva seu nome, convoca a sociedade civil e a iniciativa privada a investir e fazer parte da instalação do Polo de Biotecnologia e Saúde, seja com contribuição financeira ou de influência, e da forma que for possível. Quanto ao funcionamento, o objetivo é atender todos os pacientes sem custos.

“A insensibilidade e a inércia do setor público fizeram com que eu lançasse esse desafio para conseguir a construção com recursos privados. É possível com a participação de todos. Por favor, depositem qualquer quantia que possa fazer a diferença. Agradeço por lutarem por um futuro melhor, e que inclui milhões de vidas raras. Eu posso até não estar aqui para ver esse futuro realizado, mas tenho convicção que ele é fundamental para as demais gerações”, alertou.

Dr. Hemerson Casado clamou: “Compartilhem esse assunto com todos que estão ao seu alcance. Se você conhecer alguma celebridade, alguma pessoa famosa do mundo artístico, televisivo, jornalístico, musical, humorístico, defensores de causas sociais e políticos, por favor, peçam que entrem em contato com a Associação Dr. Hemerson Casado Gama, para que possamos explicar em detalhes e projeto e as necessidades e expectativas dos portadores de doenças raras”.

SOBRE O PROJETO

O projeto do Polo de Biotecnologia e Saúde foi desenvolvido em 2014 pela empresa Enzytec Consultoria em Biotecnologia a pedido da Associação Dr. Hemerson Casado Gama e apresentado em diversas ocasiões como em reuniões com a reitoria da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e em audiência pública na Assembleia Legislativa do Estado de Alagoas, em 18 de setembro de 2015.

Esse evento contou com a participação de representantes de todos os segmentos da sociedade, inclusive com a presença de membro da reitoria da Ufal, que reafirmou o compromisso com o projeto.

Em 2016, o parlamento enviou ofício solicitando que a reitoria da Ufal concretizasse a cessão de terreno dentro do campus de Maceió, prometido em 2014, para a construção do empreendimento.

“O projeto não pode esperar mais. De acordo com especialistas, a Ufal é o melhor local para a construção, e a área previamente discutida e aprovada não faz parte da reserva técnica de expansão da universidade. É uma causa urgente tratada com descaso. Mas ainda acreditamos nela”, destacou o Dr. Hemerson Casado.

Entramos em contato com a assessoria de comunicação da reitoria da Ufal, mas, até o momento, não foi enviada resposta sobre o assunto.

Paralelamente, o presidente da Associação tem pleiteado terreno junto aos governos municipal e estadual, e procurado nacionalmente e internacionalmente alternativas para construção do Polo de Biotecnologia e Saúde. Além da área a ser cedida e do valor para a implantação, é imprescindível uma consultoria especializada em projetos.

ANIVERSÁRIO E CURA

Ao completar quatro anos de espera pela cessão do terreno, a Associação Dr. Hemerson Casado destaca que, nesse tempo, já viabilizou um convênio entre a Ufal e a Universidade Hanyang, de Seul, Coreia do Sul, e interferiu diretamente na vinda de verbas públicas federais, sendo R$ 2.300.000,00 (2,3 milhões de reais) que estão sendo investidos no primeiro Laboratório dedicado à Esclerose Lateral Amiotrófica no Brasil, com pesquisas em células tronco, objetivando o descobrimento da cura.

“Então, nesse momento, agradecemos o importante trabalho desempenhado também pelos deputados federais Ronaldo Lessa, Paulão, Givaldo Carimbão, Marx Beltrão e do secretário do Ministério da Saúde Marco Fireman para a concretização do Laboratório de ELA. Ao mesmo tempo, ficamos angustiados de ver a morosidade de órgãos que serão diretamente beneficiados com a vinda do Polo de Biotecnologia”, ressaltou o Dr. Hemerson Casado.

Fonte: Assessoria / Texto: Patrícia Pacífico

Comentários

MAIS NO TH