Interior

17 de Maio de 2018 12:21

Violência muda rotina de motoristas no Litoral Norte de Alagoas

Condutores relatam onda de assaltos à mão armada na região

↑ Último assalto ocorreu segunda em trecho da BR-101, na entrada de Flexeiras, e vitimou estudantes em ônibus que voltava de Maceió para Colônia Leopoldina. (Foto: Ilustração)

É evidente que nos últimos anos o crime teve um considerável aumento de suas ações nos municípios do Litoral Norte de Alagoas, sobretudo, na Rota Ecológica. Mas é a onda de assaltos à mão armada nas estradas do Litoral Norte, especialmente nos últimos três meses, que está assustando e mudando a rotina de motoristas de transporte complementar e de ônibus escolares, além de receptivos e mesmo de pessoas comuns, que trafegam quase que cotidianamente pelas rodovias.

O último assalto aconteceu na madrugada da última segunda-feira (12), quando um grupo de seis homens armados conseguiu parar o ônibus de Colônia Leopoldina que leva estudantes para as faculdades em Maceió. Era por volta de meia noite quando o ônibus retornava para o município e foi assaltado no final da duplicação da BR-101, antes da entrada de Flexeiras. Os criminosos colocaram placas de sinalização no meio da estrada e forçaram o motorista a parar, direcionando fortes fachos de luz em direção ao rosto do mesmo.

Todos entraram no ônibus, um portando uma espingarda calibre 12 e os outros com revolver calibre 38. Nervosos, pediram bolsas e celulares, ameaçando os estudantes. Não conseguiram levar todos os pertences, pois o motorista não acendeu a luz do corredor, alegando que ela estava quebrada. Segundo um estudante, os bandidos vestiam a roupa padrão de quase todos os assaltantes das rodovias da Região Norte: sandália de dedo, bermuda, camiseta e boné da Nike. Em menos de 10 minutos saíram, levando os pertences em sacolas de plástico e nos bolsos. Os estudantes prestaram queixa e fizeram o Boletim de Ocorrência (BO) na delegacia de Colônia Leopoldina.

E mais esse assalto entra na retrospectiva e nas estatísticas que continuam crescendo. Em março foram três assaltos: um arrastão na ladeira da cerâmica, na Estrada Parque Rota Ecológica, na noite do dia 21, quando esse correspondente foi vítima, juntamente com mais três carros; assalto aos ônibus escolares de Porto Calvo e Matriz de Camaragibe no dia seguinte na Alça da Flamenguinha; um assalto ao ônibus dos feirantes, na zona rural de São Luís do Quitunde, na manhã do dia 24 e uma tentativa de assalto aos ônibus escolares de Porto de Pedras e São Miguel dos Milagres na noite do dia 27 de março.

Essa última tentativa culminou numa ação preventiva sem precedentes: os ônibus escolares de Porto de Pedras, São Miguel e Passo do Camaragibe, que saem todos os dias desses municípios por volta de 15h levando de 20 a 30 estudantes para as faculdades todos os dias em Maceió, estão recebendo escolta da Polícia Militar (PM). Na volta, param na entrada da Barra de Santo Antônio e são escoltados por carros da Força Tarefa até a cidade de Passo de Camaragibe.

Já na véspera do feriado prolongado de primeiro de maio, na tarde de sexta-feira, por volta das 15h30, dois criminosos invadiram a pista na BR-101 Norte, que leva a São Luís do Quitunde, armados e fizeram um arrastão. Os cinco primeiros carros foram assaltados. Um turista argentino, que foi uma das vitimas, comentou logo em seguida no Trip Advisor a ocorrência.

Condutores pedem mais fiscalização

O motorista Valter Santos, que dirige um dos ônibus escolares da Prefeitura de São Miguel dos Milagres três vezes por semana está preocupado. “Saímos por volta das 15h com 20 estudantes todos os dias. Já evito a estrada da Alça da Flamenguinha, porque é deserta e sem nenhum tipo de fiscalização. Estava sendo o local dos assaltos. Mas a volta, saindo às 22h de Maceió, e mesmo fazendo o percurso da BR, não tem jeito, a insegurança é grande, especialmente no trecho deserto que liga Barra de Santo Antônio a São Luís do Quitunde. Foi aí que pedimos a escolta de carros da Polícia Militar.”

Já os motoristas de transporte alternativo e táxis complementares da Rota Ecológica mudaram a rotina. Procuram sair ao mesmo tempo desses municípios logo pela manhã, já que saem sempre lotados. Na volta o tema agora é sair de Maceió, do posto Mar Azul, num horário que lhes permita chegar à estrada Parque da Rota Ecológica antes do anoitecer. E mesmo os taxistas de pousadas que fazem o transfer de hóspedes do aeroporto até as pousadas estão também tentando fazer o percurso sempre em horários durante o dia. Claro que nem sempre é possível.

E até mesmo os ônibus e micro ônibus que fazem receptivos de Maceió em direção a Maragogi e São Miguel dos Milagres também estão mudando sua rotina. Tentam sair pela manhã em comboios, quando podem e voltam, impreterivelmente, antes das 15h, na esperança de que a claridade os proteja.

Mas as pessoas comuns, que fazem o chamado bate volta também estão assustadas. O vereador Ives Apolinário, que reside em São Miguel dos Milagres, onde também é dentista, foi um que mudou seus hábitos de viagem. “Agora vir a Maceió sempre depois das sete da manhã e a volta sempre antes das 16h. Nossas estradas estão inseguras demais. Melhor não correr o risco. Apesar de que um assalto pode acontecer a qualquer hora.”

O início dessa onda foi em 2015 quando os constantes assaltos no complexo de rodovias que ligam os municípios da Região Norte alteraram o perfil do turismo em um dos locais mais bonitos e visitados do Nordeste: a Costa dos Corais. Na época, por medida de segurança, o turista que desembarcava à noite no aeroporto Zumbi dos Palmares, em Maceió, era “convidado” a dormir em um hotel ao invés de seguir viagem no mesmo dia. A medida fazia parte de um conjunto de ações propostas pelo setor turístico para evitar ataques de criminosos na região. Turistas brasileiros e estrangeiros já tinham sido vítimas de assaltos.

Em 2016, essa medida foi meio que esquecida. Mas em 2017 e esses primeiros meses do ano tem sido o período mais violento, pois o crime organizado passou a ver a região com potencial interesse. A audácia dos bandidos se tornou uma marca nesses assaltos, porque atacam mesmo durante o dia, parando bruscamente motos e carros apontando armas e assaltando.

A ação da Policia Militar, através da Força Tarefa, especialmente a Central de Policia de São Luís do Quitunde e carros do Batalhão Rodoviário, tem sido eficaz e já prendeu duas quadrilhas, com quatro menores de idade, que instalaram o terror nas estradas nos últimos meses. Por outro lado o Pelotão de Operações Especiais (Pelopes), do sexto Batalhão de Maragogi, tem atuado na tentativa de coibir essas quadrilhas organizadas.

Fonte: Tribuna Independente / Claudio Bulgarelli

Comentários

MAIS NO TH