Esporte

12 de fevereiro de 2018 11:14

Libertadores: Três jogos e poucas vagas, Fla tem últimos ajustes

Final de domingo, jogo com Madureira e contra o Flu, com time misto, são últimos passos para Carpegiani definir substituto de Cuéllar

foto 85 - Libertadores: Três jogos e poucas vagas, Fla tem últimos ajustes
↑ Henrique Dourado e Carpegiani: técnico encontrou centroavante para substituir Guerrero, ainda suspenso pela Fifa (Foto: Reprodução/Twitter Flamengo)

Restam poucas vagas na equipe de Paulo César Carpegiani. São mais três partidas até a estreia da Libertadores. A final da Taça Guanabara, no próximo domingo contra o Boavista, a estreia na Taça Rio, diante do Madureira, e o Fla-Flu, na segunda rodada. Apenas uma alteração, por ser obrigatória, é certa para encarar o River Plate dia 28 de fevereiro: Cuéllar, suspenso por duas partidas, sai da equipe.

Jonas hoje é quem mais se aproxima da vaga para a estreia na Libertadores, contra o River Plate. O treinador observou Rômulo, que tinha a preferência inicial de Carpegiani, mas ainda não se convenceu para efetivar o jogador, contratado no ano passado. Em duas partidas em 2018, Rômulo foi substituído – contra o Vasco, aos 19 minutos. Contra o Bangu, antes, aos 16 da segunda etapa. Na semifinal diante do Botafogo, não foi para o banco.

O estilo menos técnico e dinâmico, porém mais cão de guarda de Jonas, se não é o ideal buscado pelo técnico – na coletiva de imprensa após a semifinal, Carpegiani disse que se quisesse apenas marcação no meio, escalaria zagueiros -, deixa o treinador do Flamengo mais seguro em escalar um meio de campo mais leve, com apenas um volante fixo.

Diego Alves trabalha por retorno; Arão e Trauco saem atrás

No planejamento da comissão técnica, Cuéllar atua apenas mais uma partida. Justamente a final contra o Boavista. Depois, Jonas e Rômulo disputam a posição. Contra o Fluminense, dia 24 de feverereiro, quatro dias antes do duelo com o River, o treinador vai lançar time misto. No clássico, as mudanças são a esperança de jovens talentos da posição, como Ronaldo e Jean Lucas. A dupla teve bom desempenho no início do Carioca, mas ficou fora do banco de reservas nos últimos jogos.

– Foi muito importante a vitória (contra o Botafogo) para dar prosseguimento aos jogadores que estão retornando. Nesse jogo decisivo (Boavista) é fundamental que essa equipe jogue. No início do retuirno será essa mesma equipe que vai jogar. Mas contra o Fluminense vou repensar, vai ser outra equipe, com outros jogadores – adiantou o treinador do Flamengo.

Carpegiani não ignora o crescimento e as boas aparições dos jovens da base, mas deu o recado em entrevista no último sábado ao “Zero Hora”, jornal de Porto Alegre (RS).

diego alves - Libertadores: Três jogos e poucas vagas, Fla tem últimos ajustes

Desde a última semana, Diego Alves faz trabalho em campo sem restrições a quedas: em duas semanas, técnico vai decidir goleiro para o dia 28 (Foto: Gilvan de Souza)

Outra dúvida do treinador vai depender única e exclusivamente de ritmo de jogo. Diego Alves já está de volta aos treinos com o preparador Rogerio Maia, sem restrições – até a última semana ainda havia limitações de quedas no treinamento. César segue em boa forma neste início de temporada de 2018. Mas a vaga é de Diego, que deve ser testado para iniciar a Libertadores.

Outros antigos titulares vivem situação distintas. Renê foi titular nas últimas partidas e mostra regularidade – embora participe menos do jogo no setor ofensivo, defende bem. O lateral-esquerdo peruano Trauco ainda não estreou em 2018 e dificilmente retoma a vaga até o jogo contra o River Plate.

arao WTtAKho - Libertadores: Três jogos e poucas vagas, Fla tem últimos ajustes

Arão ainda não fez sua estreia na temporada de 2018: jogador tem chance de retornar contra o Fluminense (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Titular nas últimas duas temporadas, Willian Arão perde espaço também no novo esquema de Carpegiani, que desconversou ao ser questionado como armaria a equipe com o retorno do meia – deixou no ar que Arão fica no banco para levar a campo o time com Diego, Paquetá, Éverton Ribeiro e Everton, com o centroavante Henrique Dourado, no setor de ataque.

Carpegiani não enxerga em Arão características para a função de primeiro volante. Entende que, apesar da técnica, a marcação pode ser ponto falho. Por isso, vai pensar no retorno de Arão, que hoje parece mais próximo do banco de reservas.

– Não estou pensando nele ali (primeiro volante) não. Ele precisa se recuperar primeiro e terá a mesma oportunidade que os demais – disse Carpegiani.

Fonte: Globoesporte.com / Raphael Zarko

Comentários