Cooperativas

17 de novembro de 2017 16:17

Dia de Campo marca parceria da CPLA com equipe Giro do Gir

Produtores de todo o estado foram reunidos na Fazenda Agropecuária Pereira, em Junqueiro

↑ Dia de Campo em Junqueiro (Foto: Assessoria)

Em mais uma edição do Dia de Campo da CPLA, que aconteceu na última terça-feira (14), produtores de todo o estado foram reunidos na Fazenda Agropecuária Pereira, em Junqueiro, para conhecer as novidades trazidas pela parceria da cooperativa com a equipe especializada em genética leiteira, Giro do Gir, capitaneada pelo especialista em zootecnia, Nauber Almeida.

A ação da vez é tornar possível o registro do gado dos pequenos produtores para agregar valor aos seus rebanhos e possibilitar uma democratização no meio leiteiro.

“Um animal registrado já ocupa um lugar elevado na cadeia leiteira. Além de possibilitar um conhecimento maior da sua base genética, necessária para gerenciar da melhor forma as suas propriedades e possibilitar um menor custo e maior benefício na produção de leite, esse conhecimento de raça também facilita a participação do pequeno produtor em um cenário leiteiro que só era ocupado pelos médios e grandes criadores”, ressalta Glauber.

A notícia foi recebida de forma positiva pelos cooperativistas que se fizeram presente no evento. De acordo Hélio Costa, presidente da Associação de Produtores de Capelinha, a possibilidade de conhecer as origens de seus animais e ter isso documentado, possibilitará a atuação da agricultura familiar em eventos importantes do setor.

“O pequeno produtor mostrou que sabe produzir. Nesses eventos, iremos possibilitar a venda dos nossos animais destaques, apresentando toda a sua genética e precedentes para o futuro comprador. É com felicidade que recebemos essa novidade em nosso rebanho. É um passo a diante.”, declara.

A raça Girolando é responsável por 80% da produção de leite e está presente na cultura tanto do grande produtor, como do pequeno. Para Nauber Almeida, zootecnista do Giro do Gir, o trabalho da companhia é minimizar os espaços existentes entre essas duas classificações de criadores e tornar justa a busca por mercado entre eles.

“Esse trabalho que iniciaremos possibilita ao pequeno criador da CPLA a busca por evolução, tanto da genética, com em suas produções. Iremos às fazendas identificar os animais que serão registrados e realizar esse acompanhamento de raça, cruzamento, entre outros aspectos”, completa.

Fonte: Assessoria