Política

16 de janeiro de 2019 08:45

Renan Calheiros: ‘Palavras de Deltan foram débeis’

Senador discorda do procurador da Lava Jato ao defender voto aberto para presidência do Senado e Câmara

↑ Senador Renan Calheiros vai lançar seu livro em Maceió, trazendo à baila assuntos políticos, além de uma análise da atual conjuntura nacional (Foto: Edilson Omena)

Prestes a lançar o livro “Democracia Digital”, nessa quinta-feira (17), em Maceió, o senador Renan Calheiros (MDB), voltou a usar a sua rede social para, novamente, fazer um contraponto, à opinião dos integrantes do Poder Judiciário quanto à eleição para presidência do Senado por voto aberto.

Em sua última postagem no Twitter, o senador acabou dando uma resposta ao procurador da República Deltan Dallagnol, que recentemente utilizou a mesma plataforma para dizer que a decisão de manter a votação secreta no Senado dificulta o andamento de projetos de lei contra a corrupção e favorece o parlamentar alagoano.

Na postagem, Renan escreveu: “Deltan Dallagnol continua a proferir palavras débeis, vazias, a julgar sem isenção e com interesse político, como um ser possuído”.

O coordenador da Lava Jato no Paraná é um dos que encabeçam a campanha pelo voto aberto para as presidências da Câmara e do Senado. Em suas redes sociais, Dallagnol vem pedindo a participação de seus seguidores para a assinatura de um abaixo-assinado com esse propósito.

Mesmo sem a confirmação oficial de que é candidato à presidência do Senado, o senador Renan Calheiros parece incomodar o meio político, principalmente os demais senadores que aos montes vêm tentando minar a sua candidatura, solicitando até que a votação para eleger o novo presidente fosse realizada de forma aberta e não secreta como defende o regimento da Casa.

LIVRO

O portal de notícias Poder360 teve acesso ao livro antecipadamente e indicou que a obra mistura o estilo de literatura de cordel com os escritos no meio digital: “O modelo e formato da edição é para que o ontem, o hoje e o amanhã façam parte da mesma substância chamada tempo”, relata o autor na introdução da obra, que nela faz também uma análise da conjuntura política.

Na introdução, o senador alagoano faz análise da conjuntura política. Em um dos parágrafos, fala que o MDB seguirá unido na disputa. Além disso, também diz que pode não ser candidato.

No entanto, a reportagem da Tribuna já foi informada por fontes próximas ao senador que ele vem articulando diariamente a sua candidatura ao cargo.

Fonte: Tribuna Independente / Carlos Victor Costa

Comentários

MAIS NO TH