Mundo

12 de maio de 2019 17:58

Trump pode provocar parlamentares dos EUA a moverem impeachment, diz democrata

Obstrução de investigações congressuais por Trump sobre seu governo dá peso a impeachment

↑ Donald Trump (Foto: Reuters)

Democratas estão relutantes a mover um impeachment contra o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, mas ele pode provocar tal medida ao continuar a obstruir os esforços do Congresso para supervisionar seu governo, disse um parlamentar democrata do alto escalão neste domingo.

Adam Schiff, presidente do Comitê de Inteligência da Câmara dos Deputados, disse ao programa “This Week”, do canal ABC, que um impeachment pela Câmara, controlada por democratas, seria politicamente divisivo e dificilmente passaria pelo Senado, controlado por republicanos.

“Mas ele (Trump) pode nos levar lá”, disse Schiff. “Ele certamente parece estar tentando e talvez esse seja seu modo perverso de nos dividir mais… ele acha que isso seria para sua vantagem política, mas certamente não é vantajoso para o país.”

A obstrução de investigações congressuais por Trump sobre o seu governo dá peso ao impeachment, disse Schiff ao ABC. “Mas você sabe, parte da nossa relutância é que já somos um país amargamente dividido e um processo de impeachment nos dividiria ainda mais”.

Democratas confrontaram o presidente republicano e seu governo por se recusar a cooperar com ao menos seis diferentes investigações do Congresso sobre Trump, sua turbulenta presidência, sua família e seus interesses empresariais.

Na quarta-feira, um comitê da Câmara liderado por democratas aprovou uma medida para responsabilizar o secretário de Justiça, William Barr, por se recusar a entregar uma versão integral do relatório Mueller sobre a interferência russa na eleição, mesmo que Trump tenha invocado o princípio legal do privilégio executivo para impedir sua divulgação.

Democratas estão divididos sobre quão longe levar suas investigações, com alguns pedindo procedimentos de impeachment enquanto outros apoiam continuar com as investigações.

Fonte: Reuters

Comentários

MAIS NO TH