Interior

26 de outubro de 2019 10:26

Apoio de ex-prefeito  vira alvo de críticas em evento que acontece em Coqueiro Seco

Evento acontece neste sábado onde muitos patrocinadores estão dando suporte para tudo ocorrer bem

↑ No cartaz do evento aparecem os nomes de Tadeu Fragoso e da Prefeitura de Marechal

Em clima de campanha eleitoral tudo é possível. É o caso de Tadeu Fragoso, o homem campeão em  Coqueiro Seco/AL, em comandar a Prefeitura; ou seja, três vezes e  que agora botou seu time em campo visando a tetra conquista eleitoral. Pois é; há 26 anos, Tadeu Fragoso e seu pai Renato, estavam envolvidos naquele bárbaro crime que resultou na morte do ex-vereador Renildo José dos Santos. O fato chegou a ganhar repercussão internacional, sobretudo porque Renildo era gay e não tinha papa na língua como opositor para criticar a administração municipal, que na ocasião Tadeu era o prefeito.

Detalhe é que neste sábado Coqueiro Seco está em festa, pela passagem da VII edição do Movimento LGBT Afrodite, órgão daquela cidade, que ganhou força ao longo dos últimos anos, justamente como forma de manter viva uma manifestação contra a violência e os sucessivos casos de impunidades que a Justiça tem acobertado. Pois simplesmente Tadeu Fragoso aparece hoje, como um dos incentivadores financeiros desse movimento e estará lado-a-lado de seu companheiro prefeito do vizinho município de Marechal, o Cacau, presentes de braços dados junto com a galera gay. Nas redes sociais, teve até quem chamou Tadeu de indigesto e oportunista.

Histórico

Em março de 1993, Alagoas virou notícia nacional pela morte de Renildo José dos Santos. Então vereador pela cidade de Coqueiro Seco, na região metropolitana da capital, ele foi tirado à força, de dentro de sua casa, depois espancado e brutalmente assassinado. Pela maneira do crime bárbaro, a polícia adotou duas linhas de investigação: a primeira era de crime político, já que a vítima fazia duras críticas à gestão do prefeito à época, Tadeu Fragoso. A segunda linha era por homofobia. Renildo era homossexual.

Com o desenrolar das investigações as prisões dos suspeitos da execução material, entre eles policiais militares mais tarde foram presos e condenados, a polícia chegou ao fazendeiro José Renato de Oliveira, pai de Tadeu Fragoso, também condenado como sendo o mandante do crime.

A família de Renildo nunca teve dúvida com relação ao mandante do crime e divide as linhas de investigações adotadas pela polícia civil. Agora, 26 anos depois do crime bárbaro, Tadeu Fragoso virou um dos apoiadores da parada gay que acontece neste sábado, no município. Muita gente diz que tudo é por conta das eleições do próximo ano. O ex-prefeito tentará voltar a Prefeitura, que já comandou por 3 vezes.

 

Fonte: Redação

Comentários

MAIS NO TH