Cidades

21 de setembro de 2019 09:32

Primavera começa nesta segunda-feira

Considerada a mais bonita, estação das flores deve ter temperaturas mais quentes este ano, segundo previsões meteorológicas

↑ Apesar de a Primavera começar somente na segunda-feira, na capital as flores já tomam conta dos jardins e exalam seu delicioso perfume (Foto: Edilson Omena)

Nesta segunda-feira (23), inicia-se oficialmente a estação que é considerada por muitos, a mais bonita do ano. A Primavera chega enchendo de cores e perfume os jardins, o campo e as cidades. Isso se deve ao fato de que nela ocorre a floração de diversas espécies de plantas. E a estação vai iniciar com temperaturas mais quentes, segundo as previsões meteorológicas.

“A tendência é que essas temperaturas fiquem mais quentes. Haja vista que já estamos no final da quadra chuvosa”, explica o meteorologista Henrique Mendonça, da Sala de Alerta da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh).

E de acordo com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), na segunda-feira, tem possibilidades de chuvas, e a temperatura vai variar entre 23° e 30° graus.

Vale lembrar que nessa data é Primavera apenas no Hemisfério Sul, pois no Hemisfério Norte, nesse mesmo dia, inicia-se o outono. Cientificamente o que marca o início da primavera possui relação com um fenômeno chamado equinócio, que nada mais é do que o período do ano em que os dois hemisférios são igualmente iluminados pelos raios solares, de forma que os dias e as noites possuem, basicamente, a mesma duração.

Independente de explicação científica, a estação enche os olhos e corações dos apaixonados por plantas. Nesta estação muitas flores desabrocham devido a um conjunto de fatores, como o aumento gradativo das temperaturas (visto que a primavera representa uma transição entre o inverno e o verão), e ao o regime de chuvas, que se intensifica nesse período. Algumas espécies destacam-se nessa estação, por exemplo: Girassóis, Hortênsias, Hibisco, Violeta, Dama-da-noite, Jasmim-estrela, Rosas, Orquídeas e Tulipas.

Acima, a professora Zenith Peixoto não esconde sua paixão pelas flores: “acho que devemos estar rodeados de verde, de cores e perfumes das flores”, diz ela (Foto: Edilson Omena)

A professora Zenith Beltrão Peixoto não esconde sua paixão pelas flores. Em seu jardim existe uma variedade de espécies, mas seu xodó são as rosas e orquídeas. “Sempre morei em casa e em todas tinham plantas. Eu sou apaixonada por elas. Acho que devemos estar rodeados de verdes, de cores e perfumes das flores. Além disso, o ambiente fica mais charmoso e natural”, pontua dizendo que quando viaja fica preocupada com suas plantinhas. “Eu tenho maior cuidado com elas. Até converso. Elas sentem seu amor’’.

Outra que não vive sem suas flores é a professora universitária Ana Maria Moura Lins Bianchi, ela conta que a admiração e o cuidado são tão forte que até o projeto da residência foi feito mantendo as árvores nativas do terreno. “A vida inteira cultivei diversas plantas, as que colocam flores e outras não. Minhas tias, minhas avós, minha mãe, todas tiveram esse contato. Meus pais moravam em fazenda. Então sempre tivemos esse hábito de plantar e zelar. Até na época que morei em apartamento já cultivava plantas, algumas deixava na garagem’’, conta.

Ana Maria mostra com orgulho seu jardim que iniciou em 2003. Nele, têm plantas nativas, plantas de outras regiões, ervas medicinais e, claro, as plantas que colocam flores, como rosas, orquídeas, jasmim, flor popular, espirradeira  entre outras.

Josefa de Vasconcelos cuida do jardim em seu quintal: “sinto um amor imenso ao olhar cada uma delas” (Foto: Erika Vasconcelos / Cortesia)

“Sinto um amor imenso ao olhar cada uma delas, é uma terapia”

Com um jardim cultivado há mais de 10 anos, a dona de casa Josefa de Vasconcelos enche os olhos de brilho e transmite seu amor ao falar de suas flores.

“Sempre fui apaixonada por flores e plantas. Tive jardins em todas as casas que morei. O que tenho hoje cultivo há mais de 10 anos. Sinto um amor imenso ao olhar cada uma delas. Pra mim, não há nada mais bonito que acordar ir para o meu quintal e ver toda beleza que há nelas. Acredito que Deus está nesses detalhes. Em dias ruins eu logo fico bem só de estar em meu jardim, cuidando, plantando, mexendo com a terra. Isso me deixa satisfeita’’, conta Josefa.

A dona de casa conta que sua flor favorita é a orquídea. “Comecei cultivando a espécie mais simples, a Cattleya lilás. Sempre que o meu esposo ia a algum sítio e encontrava alguma muda, ele trazia pra mim. Logo elas ganhavam vida e floresciam. Já me disseram que tenho mãos mágicas para as plantas, em especial para as orquídeas. Desde então, fui ganhando novas mudas e espécies diferentes. Em toda ocasião que se ganhe presentes, todos sabem que o meu é uma espécie diferente de orquídeas. Pra mim, a beleza que elas carregam é única. Cada espécie tem suas cores, seu aroma, e isso me encanta muito’’.

Josefa ressalta ainda alguns cuidados que tem com as espécies. “Tenho um cuidado especial com as minhas orquídeas. Sou atenta ao observar as folhas, pois, vai não vai, encontro fungos que podem adoecê-las e, por isso, limpo as folhas delicadamente com um algodão, borrifando vinagre de maçã. Isso faz com que os fungos morram. Na hora de plantar e fazer as mudas, eu costumo lavar as raízes e colocar bastante casca de coco seco onde ela será plantada. Isso ajuda a planta a enraizar e crescer bonita. Há quem ache que se planta orquídeas com terra (risos) e não é bem assim. Além disso, eu rego apenas uma vez na semana, pois se colocar muita água elas encharcam e a raiz apodrece’’.

“Importante ter informações para cuidar”

O engenheiro agrônomo Rafael Borba explica os cuidados que se deve ter com as plantas, sobretudo as que colocam flores. “A maior parte delas gostam de clima frios. Inclusive, isso é um problema. Muitas delas são vendidas em supermercados, em exposição de feiras, e as pessoas compram e quando chegam em casa e acaba morrendo com pouco tempo. Quem comprar deve buscar informações, porque nem todas as espécies são favoráveis para o clima do Nordeste”, explica.

Borba ressalta que muitas precisam de um clima ameno para florescer. “Aqui existem muitas que se dão bem como as rosas do deserto, que se adapta com a região, por exemplo. É uma planta que fica alguns dias sem água. A procura por ela é bem grande. Já a orquídea é uma planta que exige um maior cuidado, ter um local iluminado, ela não gosta de terra, precisa ser plantada em fibra de coco ou outras. Muita gente utiliza dentro de casa, e isso não é o ideal. Lembro que a flor cair não significa que a planta morreu, as flores ficam por alguns meses”.

Já em relação ao Girassol, o engenheiro agrônomo diz que é uma planta de ciclo de vida curto. ‘’Depois que ela floresce, produz a semente e morre. Ou seja, as pessoas devem se atentar a isso. Flores para dentro de casa nem todas são viáveis. Existem, mas elas precisam de iluminação, adubo, a quantidade de água. São vários cuidados que se deve ter. Por isso, ressalto a busca pela informação de cada espécie para a planta não morrer’’.

Fonte: Tribuna Independente / Lucas França

Comentários

MAIS NO TH