Interior

8 de dezembro de 2021 11:10

Inovação aberta no saneamento cresce 391% no último ano

Empresa tem desafio proposto por Iguá e 100 Open Startups

↑ Foto: Assessoria

Segundo levantamento da Iguá Saneamento, empresa controladora da Agreste Saneamento, em parceria com a 100 Open Startups – plataforma líder em open innovation -, o relacionamento de inovação aberta entre empresas de saneamento e startups aumentou 391% no último ano, gerando cerca de R$ 11 milhões transacionados diretamente, ante R$ 4 milhões em 2020.

Os dados são resultado do Grand Challenge Saneamento: A Água como Serviço, desafio de open innovation proposto pela Iguá em conjunto com a 100 Open para estimular a inovação no setor. Do total de interações no ano, 91% foram articuladas pelas cinco empresas que são consideradas referência no assunto, de acordo com classificação da plataforma. Lançado em agosto de 2021, o ranking revelou a Iguá como a companhia de saneamento mais engajada em iniciativas de inovação aberta do país, reconhecendo a empresa com o 1º lugar.

O desenvolvimento com fornecedores foi o segmento que mais estimulou parcerias, respondendo por 36,4% de todos os relacionamentos registrados no ano. Estão neste escopo projetos de P&D e prototipagem, contratação de projetos piloto, fornecimento de serviços ou produtos das startups, licenciamento de propriedade intelectual das startups, entre outros.

A Iguá apresentou os resultados do primeiro ano do Grand Challenge Saneamento durante a Oiweek ESG inovabra, evento disponível neste link: 100os.net/Grand_Challenge_Saneamento.

Jeito Iguá de Inovar

A Iguá se diferencia por sua visão estratégica de inovação, caminho que acredita ser fundamental para a solução de velhos problemas e para a evolução do saneamento. Também foi pioneira na aproximação do saneamento com o ecossistema de inovação por meio do projeto Iguá Lab, que desde 2018 convida startups a pensar, junto com profissionais e parceiros, em alternativas para os desafios do setor. Nas duas primeiras edições, o programa contou com 150 startups inscritas e R$ 1,2 milhão investidos. A partir de 2020, a iniciativa foi ampliada e deu origem ao Grand Challenge.

A empresa também vem empregando tecnologias intersetoriais em suas operações para melhorar a eficiência operacional. Entre elas, merecem destaque: a instalação de um secador térmico de lodo movido a vapor gerado por biomassa, com capacidade de 6,8 mil quilos/hora, que aprimora a gestão do resíduo gerado pelo processo de tratamento de água; o uso de sondas inicialmente projetadas para o setor de óleo e gás, como a seesnake, para pesquisa de vazamentos; e a utilização de materiais modulares a base de aço e carbono para a expansão das redes, que tornam a instalação até 30% mais barata e 50% mais rápida. A Iguá implementou ainda o processo de construção modular em estações de tratamento. Em Paranaguá, a metodologia proporcionou a antecipação do início de operação de uma estação de tratamento de esgoto em 18 meses.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH