Interior

29 de novembro de 2021 11:55

Com distribuição de 5 toneladas de alimentos, MST realiza ato no centro de Atalaia

Vigília contra violência e impunidade na morte de Jaelson Melquíades

↑ Foto: Assessoria

Em vigília desde a tarde de ontem (28), trabalhadores e trabalhadoras rurais de todo o estado realizam esta manhã um ato em memória ao líder do MST, Jaelson Melquíades, assassinado há 16 anos na cidade de Atalaia, na Zona da Mata de Alagoas. O ato, que ocorre no centro da cidade, doará cerca de 5 toneladas de alimentos produzidos pelos Sem Terra nos acampamentos e assentamentos da Reforma Agrária. A atividade reúne ainda amigos e amigas do MST, além de lideranças religiosas, partidos políticos e organizações populares.A morte de Jaelson marca o Dia Estadual de Luta contra a Violência e a Impunidade no Campo e na Cidade, onde os camponeses e camponesas realizam uma série de atividades em memória aos que foram mortos na luta pela terra e cobram o fim da violência e da impunidade dos crimes contra trabalhadores rurais.“Esta data é marcada não somente pela nossa dor por termos perdido fisicamente um companheiro, mas especialmente pela nossa disposição de seguir lutando pela terra e pela Reforma Agrária nesse estado e nesse país”, comentou Débora Nunes, da direção nacional do MST.De acordo com Débora, o assassinato de Jaelson foi uma tentativa de intimidar a luta pela terra em Atalaia, município marcado pela falência das usinas de cana-de-açúcar e pela organização de trabalhadores rurais na ocupação das áreas.“Atalaia vem de um processo de falência de duas usinas, a Ouricuri e a Brasileira, e justamente com o abandono dos trabalhadores e a negligência dos direitos, além do conjunto das questões sociais, fizeram com que Atalaia fosse um terreno propício e favorável para a organização dos trabalhadores e trabalhadoras. Isso confronta diretamente grupos políticos da região que tinham interesse de que essas terras fossem apropriadas indevidamente, como aconteceu com várias outras áreas de usinas”, explicou.Cinco tolenadas de alimentos serão doadas ao longo do ato para a população de Atalaia, para Débora Nunes, a ação é a continuidade da luta também construída por Jaelson.“No dia que memoramos 16 anos de impunidade da morte de Jaelson, reafirmamos que, apesar de tentarem nos destruir matando Jaelson, nós seguimos mais fortes e fazendo o que impediram ele de fazer: é uma destas coisas é partilha do alimento saudável, produzido nas terras que ele lutou para conquistar”.Jaelson MelquíadesAssassinado há 16 anos, em 29 de novembro de 2005, Jaelson Melquíades, liderança do MST em Atalaia, foi morto em uma emboscada planejada pelas elites da região e, até hoje, a data é lembrada com a luta dos camponeses e camponesas, que exigem justiça e denunciam a violência e a impunidade no campo.Desde seu assassinato, o caso ficou impune, quando somente em 2016, após muita cobrança e pressão dos movimentos de luta pela terra, um suposto executor do crime foi preso.A data de sua morte é dia de luta pelo MST e pelos movimentos camponeses em Alagoas, pautando o fim da violência e denunciando a impunidade.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH