Interior

3 de junho de 2020 10:15

CBHSF comemora Dia Nacional em Defesa do Rio São Francisco

Campanha “Eu viro carranca para defender o Velho Chico” tem seu ápice nesta data.

O Dia Nacional em Defesa do Rio São Francisco é nesta quarta-feira (03) e todo os anos o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) realiza a campanha “Eu viro carranca para defender o Velho Chico” que tem seu ápice nesta data.

O tema é “Viva o Velho Chico Vivo!”. Apesar de um rio cheio devido às fortes chuvas ocorridas no final do ano de 2019 e no início deste, ainda tem que enfrentar o desafio da pandemia do coronavírus. Na situação atual, falar sobre a preservação e cuidado com o Rio São Francisco serve como ponto de partida para um diálogo sobre a vida e a saúde das pessoas.

Então, o Comitê busca não só mostrar a importância da preservação do Rio São Francisco e do meio ambiente, como também está colaborando com a prevenção da disseminação da Covid-19 através da informação.
Este ano, a campanha é dedicada também aos trabalhadores dos serviços essenciais, que estão na linha de frente na luta contra a pandemia, trabalhando para que as demais pessoas possam ficar em casa e com o intuito de buscar sair mais rapidamente desta catástrofe que atingiu todo planeta.

Apesar da pandemia, o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco não parou de trabalhar e tem respeitando todas as recomendações das autoridades mundiais em saúde, junto com sua entidade delegatária, a Agência Peixe Vivo. O Comitê está dando andamento aos projetos de revitalização hidroambiental, à elaboração dos planos municipais de saneamento básico, à construção de um pacto das águas, à implementação do sistema de informação da bacia do rio São Francisco, entre várias outras ações.
O Comitê é uma das instituições que mais investe em Planos Municipais de Saneamento Básico no Brasil. Até o momento, o CBHSF contratou a elaboração de 67 PMSB e por meio do último chamamento lançado em 2019, contemplará mais 48 cidades da bacia hidrográfica do Velho Chico.

Os municípios contemplados pelo PMSB do CBHSF foram selecionados de acordo com sua situação ambiental, quer seja pela necessidade de ampliação do sistema de abastecimento de água; a urgência de novos mananciais de abastecimento; o lançamento de esgoto sem tratamento à montante da captação; além da ocorrência de inundações ou alagamentos em áreas urbanas, entre outros critérios. Vale observar que, uma vez criado, a execução do plano de saneamento ficará a cargo das prefeituras ou por concessões privadas ou públicas.

Todos os projetos do Comitê são realizados com os recursos da cobrança pelo uso da água. A cobrança pelo uso da água é um dos instrumentos da Política Nacional de Recursos Hídricos, e possui os seguintes objetivos:

-obter recursos financeiros para a recuperação das bacias hidrográficas brasileiras;
-estimular o investimento em despoluição;
-dar ao usuário uma sugestão do real valor da água;
-e incentivar a utilização de tecnologias limpas e poupadoras de recursos hídricos.

Outras ações importantes realizadas pelo Comitê são as que promovem projetos de abastecimento de água tratada em comunidades tradicionais. Com investimentos de R$ 3.800.000,00 foi executada uma obra para favorecer o povo indígena Pankará, de Itacuruba-PE. Já para o povo indígena Kariri-Xocó, localizado na região do Baixo São Francisco serão destinados investimentos da ordem de R$ 200.000,00.

A campanha “Eu viro carranca pra defender o Velho Chico” joga luz sobre os graves problemas enfrentados pelo Rio São Francisco e sua bacia hidrográfica e para a necessária e urgente revitalização dessa entidade de integração nacional que alimenta a vida e a esperança dos 18 milhões de brasileiros que dependem de suas águas.
Lançada em 2014, a campanha tem a carranca como símbolo e o objetivo de divulgar o Dia Nacional em Defesa do Velho Chico, celebrado em 3 de junho. A data foi instituída pelo CBHSF para conscientizar as pessoas sobre a preservação do rio e mobilizar todos e todas pelo uso responsável dos seus recursos hídricos. A celebração próxima ao Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, é uma estratégia que coloca o Velho Chico em definitivo no calendário brasileiro de eventos.

Fonte: Assessoria

Comentários

MAIS NO TH